Mudando o sentido das palavras

Mudando o sentido das palavras

por Daniel Sollero

Um golpe está acontecendo. É um golpe criado por marqueteiros e dublês de redatores publicitários. Nesse golpe as palavras são as vítimas mudas e elas estão tendo o seu significado mudado pela publicidade. Eu fui ao cinema um tempo atrás e lá tive o desprazer de ver uma peça bem produzida de divulgação do filme Sucker Punch em que o texto dizia: “Compre o seu brinde”. Desculpe. Acho que não entendi. Compre o seu brinde? Compre? Não é possível. Brinde não é algo que nós ganhamos? Dando uma olhada no pai dos burros vejo alguns significados:

3 objeto com o qual se presenteia
Ex.: um brinde de flores

3.1 Rubrica: comércio.
oferta condicionada à compra de certa mercadoria; obséquio por compra
Ex.: com a aquisição do aparelho, recebeu um relógio como brinde

3.2 Rubrica: comércio, publicidade.
peça promocional que se oferece visando a objetivos de marketing
Ex.: o brinde aos clientes neste Natal será uma agenda de couro

Sinônimos
ver sinonímia de presente

É. Realmente o significado de brinde ainda não mudou. Mas, pelo jeito, é capaz de mudar num futuro próximo. Se começarem a publicar isso sempre, vai acontecer com a palavra brinde a mesma coisa que as operadores de telefonia celular tem feito com a palavra Ilimitado.

adjetivo

1 que não tem limite(s); infinito
Ex.: a série dos números inteiros é ilimitada

2 que parece não ter limite
Ex.: uma paciência ilimitada

3 que não pode ou é difícil de ser calculado, avaliado
Ex.: reservas ilimitadas

4 cujo término não é fixado
Ex.: declarou-se a greve por prazo ilimitado

Já notaram que os planos de internet 3G ilimitada geralmente tem algum limite. Por exemplo, um plano ilimitado mas se você usar mais de 1GB, eles limitam a velocidade da conexão para algo bem abaixo do contratado? A justificativa é tosca.

“O senhor pode navegar a vontade na internet usando a sua conexão de 56k do seu modem 3G.”

Aí você pergunta:

“Mas porque 56k? E a minha conexão 3G rápida e ilimitada que eu contratei?”

E a resposta parece vinda de um script do “Além da Imaginação”:

“É exatamente senhor, o acesso é ilimitado mas depois de 1GB a velocidade é limitada”

O Cris Dias fez um post muito bom a respeito: motivado pelo post do Neto

Na real, esse texto é apenas uma brincadeira para chamar a atenção de algo que acontece com freqüência. As vezes na correria da agência que tem que colocar uma peça na rua para ontem, algumas delas podem ir para rua sem revisão. E pior, isso passa pelo cliente que também não nota. Erros acontecem.

Mas isso é diferente do caso do Você Conhece, você confia que pega um clichê o reutiliza até morrer. É bem pior. É mudar o sentido das palavras ao bel prazer da publicidade. Com a esperança de que uma mentira (ou distorção) publicada mil vezes possa se tornar verdade.

Enfim, esse é um golpe silencioso. Um golpe feita em escritórios de marketing e agências de publicidade. É feito por gerentes de marketing bitolados e sem critérios para bater a sua meta comercial. É feito por redatores sem supervisão e, como sempre, a culpa sempre é do estagiário.

Compartilhe:
  • tags: