Mapa permite visualização de edições na Wikipedia

Apesar das restrições, o projeto criado por Stephen LaPorte e Mahmoud Hashemi tem uma proposta interessante

por Amanda de Almeida

Das coisas que a internet permitiu que fossem criadas, a Wikipedia pode ser considerada ao mesmo tempo uma das melhores e piores. Porque , da mesma forma que permite que a gente encontre informações que não estariam em outros lugares, ao mesmo tempo a gente acaba desconfiando se aquilo está correto ou se é verdade. Afinal,  esta liberdade, que é o mais legal – todo mundo pode colaborar e compartilhar o seu conhecimento – também permite que o conteúdo não seja tão acurado, às vezes nem mesmo checado.

Ambivalências à parte, eu sempre tive uma certa curiosidade para saber como seria uma imagem da Wikipedia sendo construída – ou costurada, que seja, como uma enorme colcha de retalhos. Foi mais ou menos isso o que encontrei no Wikipedia Recent Changes Map, um site que mostra uma localização aproximada de usuários não-cadastrados e quais são os artigos que estão sendo editados.

E olha que não é pouca coisa: em 12 anos foram mais de 22 milhões de artigos publicados em 285 línguas e 77 mil colaboradores ativos (segundo a própria Wikipedia em sua página Sobre). A primeira coisa ruim é que apenas alguns idiomas constam neste projeto, entre eles inglês, alemão, russo, japonês, espanhol, francês, holandês, italiano, sueco, árabe e indonésio. Ou seja, quando alguém estiver editando a Wikipedia em português, a gente não vai conseguir visualizar. Pelo menos não neste site.

Um dado interessante é que os colaboradores da Wikepedia que não são registrados respondem por 15% do total de edições. Neste mapa, eles são localizados por seus IPs, que são traduzidos para uma localização aproximada. No caso dos editores registrados, o IP não aparece, o que faz com que este mapa seja uma representação reduzida deste universo.

Para fazer este mapeamento, os idealizadores do projeto Stephen LaPorte e Mahmoud Hashemi contam que usaram serviços e fontes que incluem o D3, DataMaps e freegeoip.net, além de usar dados transmitidos pelo Wikimon. A inspiração veio do WikipediaVision, que também oferece uma visualização quase que em tempo real, mas talvez não hipnotizante quanto esta. Você fica prestando atenção para ver qual será a próxima mudança e de onde ela virá… Sem contar a curiosidade para saber no que foi que a pessoa mexeu…

 

Compartilhe: