Art Everywhere troca anúncios por obras de arte em outdoors da Inglaterra

A maior exposição de arte do mundo leva para as ruas famosas pinturas trancadas em museus

por Samanta Fluture

Durante duas semanas, obras de artes tomaram conta de 22 mil outdoors por cidades do Reino Unido, lugares antes reservados para propaganda. A ideia por trás do projeto Art Everywhere foi trazer 57 das pinturas inglesas mais famosas dos museus para as ruas, ocupando grandes espaços de mídia externa como em ruas movimentadas, pontos de ônibus, trens e metrôs. Resultado: a maior exposição de arte do mundo.

A relação dos habitantes com a arte e com a própria cidade mudou. Não há tempo e somos onipresentes. Será que as pessoas que passaram por estes pontos notaram a diferença?

compartilhe

Com a liderança de Sir Peter Blake – famoso por criar a capa do álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles – a iniciativa uniu grandes parceiros e colaboradores como o Tate Modern, o Art Fund, diversas agências de publicidade britânicas, e também empresas como Clearchannel e JC Decaux.

Para abrir o projeto, Blake revelou seu próprio trabalho datado da década de 80, The Meeting or Have a Nice Day Mr Hockney, em um enorme outdoor em Westfield London Shopping Centre.

As demais peças foram selecionadas pelo público, a partir da coleção da galeria nacional de arte britânica. Dentre elas, estão pintores do século 19 como Turner e Whistler, do século 20 como John Singer Sargent e até trabalhos do contemporâneo Damien Hirst. Uma das artes mais votadas foi a The Lady of Shalott, de 1888, por John William Waterhouse.

art-everywhere-1
RENOIR
art-everywhere-3
art-everywhere-4
art-everywhere-5

Para aqueles que não encontram tempo para os museus ou ainda consideram as galerias de arte intimidadoras, essa é a chance.

compartilhe

Ocupando espaços normalmente reservados para publicidade, a competição com os diversos anúncios – de “última geração”, passando por gráficos em movimento, 3D e interação – que rodeiam a obra de arte, podem até fazer com que ela passe despercebida por muitos.

Para amantes de arte ou pessoas mais observadoras, a ideia é de puro prazer. Já para os apressados cidadãos da cidade grande – que se não estão encarando o trânsito, não desgrudam os olhos do celular – além de facilitar o acesso e o contato com a arte, o projeto oferece um tempo de contemplação em meio ao caos diário.

Compartilhe: