Fotógrafo explica o selfie de Barack Obama durante o funeral de Nelson Mandela

Robert Schmidt diz se sentir triste pela repercussão e conotação inventada para as fotos que tirou

por Carlos Merigo

Ontem, 10 de dezembro, a notícia que parecia ser a mais importante do mundo foi o selfie do presidente Barack Obama com a primeira ministra da Dinamarca, Helle Thorning Schmidt, e o premiê britânico David Cameron.

Com tanta comoção, o fotógrafo Roberto Schmidt da AFP resolveu contar o contexto por trás das imagens que capturou. Ele explicou, através do blog da agência, que já eram passadas duas horas do funeral de Nelson Mandela (que ainda duraria mais duas), e o clima não era de tristeza e luto.

Segundo Schimdt, parecia mais um carnaval do que um velório. “Afinal, estamos na África”, escreveu o fotógrafo. O ambiente era relaxado, e nem Michelle Obama estava irritada, como afirmaram as redes sociais. Ela mesma, segundos antes, estava conversando e dando risada com o trio do selfie.

Obama Selfie

Robert Schmidt disse não imaginar que as fotos que tirou, de um momento tão espontâneo, teriam tamanho impacto na imprensa mundial e na internet.

O fotógrafo revelou se sentir triste com essa obsessão diante de uma trivialidade, e que nos faz ignorar fatos de real importância, afirmando que isso talvez não existisse se tivéssemos mais acesso a essas autoridades para descobrir que eles são seres humanos como o resto de nós.

Leia na íntegra no blog da AFP.

Compartilhe: