Mink, uma impressora 3D que faz maquiagem em cores customizadas

Tem potencial para ser o novo sonho de consumo das meninas

por Jacqueline Lafloufa

Depois braços robóticos, pizzas, peças customizadas e suportes para a GoPro, essa é uma das ideias mais bacanas que eu já vi relacionadas a impressora 3D. Trata-se da Mink, uma impressora que vai imprimir maquiagem nas cores que as meninas quiserem, usando a paleta de cores hexadecimal.

O processo não poderia ser mais simples. Ao ver uma cor bacana, basta usar um seletor de cor para encontrar o código hexadecimal da tonalidade, colá-la em um aplicativo de edição de imagens (por exemplo o Photoshop) e mandar imprimir, exatamente como você faria com qualquer documento comum.

Com isso, qualquer smartphone ou câmera pode captar um tom para gerar maquiagem (!). Viu uma tonalidade bonita enquanto passeava pelo parque? Basta registrar, selecionar a cor e mandar imprimir.

A criadora da Mink, Grace Choi, explicou durante sua apresentação no TechCrunch Disrupt que além da facilidade de ter maquiagens em tons diferentes de forma bem rápida, uma das maiores vantagens da Mink é a independência das tendências definidas pelas fabricantes de produtos de beleza. No geral, essas empresas optam pelas cores ‘da estação’, que serão mais procuradas, e acabam deixando de lado opções com menos adeptas.

Com a Mink, qualquer cor pode ser transformada em blush, sombra, brilho labial e uma série de outros produtos cosméticos.

E se você ficou preocupado com a ‘qualidade’ do material usado na Mink, a criadora da ideia esclarece que são utilizadas as mesmas matérias primas usadas pelas grandes marcas. Ou seja, segurança, personalização e a grande conveniência de poder imprimir sua maquiagem em casa.

O mais surpreendente? Essa belezinha pode chegar ao mercado ainda neste ano, custando 200 dólares.

Só uma coisa ainda me deixa cética (e que também deixou um dos jurados bem desconfiado): se a Mink é uma adaptação de uma impressora jato de tinta, como ela faz… sombra em pó? Como os componentes seriam ‘misturados’, no caso de um produto líquido como base ou brilho labial?

São detalhes que Grace vai precisar esclarecer melhor para seus possíveis futuros parceiros.

Compartilhe: