Cada vez mais publicações adotam a estratégia do ‘old but gold’

Conteúdos antigos, que ainda possuem valor, são cada vez mais destacados para a audiência. O único cuidado recomendado é não confundir os leitores

por Jacqueline Lafloufa

Estamos acostumados a acompanhar na web os acontecimentos do último minuto. A mais recente postagem, a notícia mais nova, o conteúdo que ninguém viu ainda.
No entanto, para as publicações, nem sempre o conteúdo mais recente é o que faz mais sucesso, e alguns sites têm adotado a prática de destacar os conteúdos antigos, mas que ainda tem muito valor – o ‘old but gold’ norte-americano.

Grandes mídias como a New York Magazine e noticiários na web, como o BusinessInsider, tem destacado nas suas redes conteúdos que já foram publicados há algum tempo, mas que continuam relevantes, como uma matéria sobre deixar a cidade de Nova Iorque, originalmente publicada no ano passado, e que voltou a ser compartilhada no Facebook, causando curiosidade entre os leitores.

Editorialmente, o intuito era conseguir impactar a nova base de fãs no Facebook da publicação – segundo Stefan Becket, editor de mídias sociais da revista, cerca de 75% dos fãs não tinham tido a oportunidade de conferir o artigo da primeira vez que ele foi publicado.


Sites como o Upworthy, que trabalham com materiais que não são tão ‘perecíveis’ como uma notícia pontual, tem o costume de nem mesmo informar a data original da publicação. “Nosso foco é em temas sociais mais difusos, que evoluem com o tempo, mas que não perecem na mesma velocidade de uma notícia. Por isso, nosso conteúdo continua atual por muito tempo, e a informação sobre a data de publicação não se torna tão relevante para os nossos leitores”, explica Ed Urgola, diretor de marketing da Upworthy, em entrevista ao Digiday.

O único cuidado a se tomar é não confundir os leitores. No BusinessInsider, o costume atual é de republicar o conteúdo inserindo uma data mais atual de publicação, o que pode dar a impressão de que a informação é nova ou recente, mesmo que não seja. Talvez só o leitor mais safo tenha percebido que a notícia não era nova, ou quem acompanha de perto o trabalho do autor do texto – que, aliás, nem está mais na equipe do BusinessInsider.

business-insider

Joshua Benton, do Nieman Lab, reitera que a ‘idade’ da notícia não é tão relevante para algumas das histórias contadas na web, mas que publicações que informam data e hora da postagem deveriam ser mais transparentes sobre conteúdos que estão sendo rememorados. Como exemplo, ele destaca a BBC, que possui um menu lateral onde destaca seus conteúdos mais recentes, mas também os ‘mais lidos’, que independem da data de publicação, e são avaliados exclusivamente no interesse atual dos leitores.

bbc-most-read

Compartilhe: