Vice aposta forte no jornalismo internacional com vídeo sobre ISIS

Canal divulgou trailer de documentário sobre o califado islâmico que se formou no Iraque, e mostra que não está blefando sobre um jornalismo intimista

por Jacqueline Lafloufa

A câmera te leva bem para o meio do furacão, em trincheiras, com sons de armas de fogo ao fundo. É esse jornalismo mais intimista e próximo dos acontecimentos que esse trailer da Vice News mostra.

O vídeo promete ser apenas uma pontinha do que será mostrado por Medyam Dairieh, cinegrafista e jornalista da Vice que entrou no Iraque sem passaporte e passou três semanas realizando as gravações dentro do autoproclamado califado islâmico, conhecido internacionalmente pela sigla ISIS.

Destacado pelo AdAge como uma demonstração de compromisso da Vice News com um jornalismo internacional, a iniciativa também evidencia que materiais jornalísticos podem encontrar em breve outros canais para chegar ao público, e com um formato menos editado e mais próximo da situação.

É um formato de jornalismo que acontece em primeira pessoa, com o câmera retratando o que vê e passando ao webspectador a impressão de ele mesmo estar ali, imerso naquele ambiente.

compartilhe

No entanto, isso infelizmente não significa que os profissionais estejam sendo bem pagos – diversas denúncias de funcionários sobre baixos salários podem ser encontrada na rede – mas que a audiência irá encontrar esse tipo de material sendo feito diretamente para a internet, ao invés de ser produzido para a TV e replicado na web.

É curioso perceber que o material produzido por Dairieh lembra bastante o tipo de streaming feito pela Mídia Ninja no ano passado, durante os protestos de junho. É um formato de jornalismo bastante arriscado para o profissional, mas que acontece em primeira pessoa, com o câmera retratando o que vê e passando ao webspectador a impressão de ele mesmo estar ali, imerso naquele ambiente.

Resta saber se o público está pronto para receber com a devida credibilidade um material criado por um veículo novo, e não pelas tradicionais produtoras de TV que faziam anteriormente esse tipo de reportagem.

vice-news-isis

Compartilhe: