Clicky

Hilton fará smartphones se tornarem chaves de quartos em breve

Hilton fará smartphones se tornarem chaves de quartos em breve

Para atrair consumidores jovens, rede de hotéis promete reservas, check-in e abertura de portas de quartos usando o smartphone

por Jacqueline Lafloufa

Se os futuros consumidores estão nos dispositivos móveis, é para lá que a rede de hotéis Hilton vai. A empresa anunciou que está investindo 550 milhões de dólares em tecnologias que vão permitir a reserva, escolha de quartos, check-in e abertura das portas dos quartos com o uso de smartphones, praticamente acabando com a necessidade do recepcionista.

Mesmo com um investimento alto, isso não será feito da noite para o dia. A expectativa é que novos sistemas que permitam reservas e destrancamento de portas através do mobile esteja em funcionamento no final de 2016.

Essa inovação no sistema de hotelaria é mais uma necessidade do que um mimo para os clientes. Outras redes concorrentes do Hilton, como o Marriott, já estão se mexendo para melhorar sua presença mobile, e também começaram a fazer os primeiros testes do uso de smartphones como chaves para as portas dos quartos. “Percebemos que mais de 40% dos visitantes do nosso site o faziam através de um dispositivo móvel. Há quatro anos, as visitas mobile somavam apenas 1%”, explica George Corbin, SVP de digital do Marriott, em entrevista ao Wall Street Journal.

 Se conseguirem conquistar os clientes através de boas plataformas móveis, os hotéis terão a vantagem de poder “monitorá-los” e usar as métricas para oferecer serviços extra

compartilhe

Além disso, as redes de hotéis estão cada vez mais interessadas em fidelizar o cliente. Ao fazer a reserva, boa parte dos viajantes está preferindo checar em sites agregadores, como o Expedia ou o Hotels, e esses sites cobram uma taxa dos hotéis para intermediar a reserva.

Se conseguirem conquistar os clientes através de boas plataformas móveis e de uma integração entre a experiência digital e a estadia no hotel, as redes também terão a vantagem de poder “monitorá-los” e usar as métricas para oferecer serviços extra – quem sabe um drink para quem estiver fazendo um check-in, ou rememorar outros serviços que o hotel oferece no período daquela reserva.

Além do Hilton e do Marriott, a rede Starwood também está se preparando para apostar forte em mobile, com algumas de suas unidades já testando o uso de smartphones para abrir quartos, com previsão de oferecer esse serviço em cerca de 150 unidades Aloft e em todos os Hotels W até o final de 2015.

O único receio fica por conta da rápida mudança de comportamento dessa geração mais jovem – será que, até 2016, não serão outros os dispositivos e plataformas queridinhas dos consumidores?

Compartilhe: