Unicef sugere uma “vacina” contra a violência

Infelizmente, ela não é tão simples assim

por Amanda de Almeida

Um garotinho cheio de hematomas entra em uma farmácia. O balconista reconhece o menino e, ao olhar para os ferimentos, conclui que mais uma vez ele está sofrendo com um “terrível” caso de violência. Para esta doença, ele recomenda um remédio contra a violência de gangues, que deve ser consumido sempre com um cubo de açúcar. A farmácia, entretanto, começa a ruir e remédios contra diferentes tipos de violência começam a cair das prateleiras.

Criado pela agência Don’t Panic para a Unicef do Reino Unido, A Vaccine for Violence deixa a gente arrepiado, com o risco do aparecimento de pequenas cebolas-ninjas, com uma história muito bem amarrada um dado muito triste: a cada 5 minutos, uma criança morre vítima de violência. E apesar de não existir uma vacina ainda, há outras alternativas para se lutar contra esse mal.

Vale o play.

unicef

Compartilhe: