CES 2015: As principais tendências do “Dia Zero” da feira

CES 2015: As principais tendências do “Dia Zero” da feira

IoT, ADAS, SUHDTV, pixels quânticos, e filas, muitas filas

por Carlos Merigo

LAS VEGAS, EUA – A CES 2015 começa de verdade hoje, com a abertura dos pavilhões de exposição – que somam quase 2 milhões de metros quadrados – para os mais de 150 mil visitantes esperados.

Porém, o evento abre para a imprensa já no domingo, com a chamada CES Unveiled. Um espaço dedicado para os pequenos negócios e startups demonstrarem suas ideias e protótipos. Obviamente, existe muito lixo, mas também propostas com potencial, como a mala que pode ser trancada via NFC e tomadas inteligentes.

Até a Microsoft esteve por lá, exemplificando o uso do Surface pelos técnicos da NFL. É um momento em que as empresas disputam a tapa a atenção de jornalistas e blogueiros, similar a uma barraquinha de DVD pirata na Santa Ifigênia. Olhou de relance para alguma coisa? Imediatamente salta alguém animado para lhe vender todos os benefícios daquela fantástica tecnologia.

Já na segunda, 5 de janeiro, a relação é inversa. Jornalistas enfrentam filas quilométricas e se engalfinham para entrar em uma das coletivas de imprensa preparadas pelas grandes marcas. São sessões que oferecem uma prévia do que será exibido nos estandes no Centro de Convenções de Las Vegas. Executivos atuam sob efeitos de sons e luzes para vermos celulares, geladeiras e fogões entrando no palco como se fossem estrelas de Hollywood.

Televisão quântica e aliança pelo 4K

Executivos atuam sob efeitos de sons e luzes para vermos celulares, geladeiras e fogões entrando no palco como se fossem estrelas de Hollywood

compartilhe

Algumas tendências podem ser observadas, ainda que apenas corroborando aquilo que já tinha se levantado no ano passado. No segmento de TV’s, a tela curva já virou obrigação, ainda que os consumidores não estejam completamente convencidos disso. A LG, inclusive, oferece uma TV em que a tela pode ficar plana ou curva com o toque de um botão.

A Samsung apresentou a nova linha SUHDTV, acrônimo para Spectacular Ultra High Definition Television. Apesar da sigla de marketing, a TV segue outra expectativa do mercado para esse ano. São as telas de partículas quânticas ou pixels quânticos. Cristais minúsculos que prometem melhorar dramaticamente a gama de cores em relação as telas de LCD e OLED.

Tim Alessi, diretor de novos produtos da LG, apresentou a TV flexível

Tim Alessi, diretor de novos produtos da LG, apresentou a TV flexível

As fabricantes tem um problema fundamental para conseguir emplacar tantos recursos: a falta de conteúdo 4K

compartilhe

A comparação feita pela Samsung, com imagens do filme “As Aventuras de Pi”, impressiona. Os nano cristais parecem dar um novo nível de detalhamento e clareza, melhorando um problema crônico das TV’s atuais: a profundidade da cor preta. Outras marcas também estão investindo na tecnologia, que inclusive já está presente em telas menores, como Kindle Fire HDX, da Amazon.

Equipada com o novo sistema operacional Tizen, que provavelmente tem o dado da equipe do finado Boxee, a SUHDTV da Samsung pode ter até 88 polegadas.

É tudo muito bonito até aqui, mas as fabricantes tem um problema fundamental nas mãos para de fato conseguirem emplacar tantos recursos: a falta de conteúdo 4K. Tanto é que, LG e Samsung, anunciaram parcerias com grandes produtoras para aumentar a oferta de programas.

A LG levou ao palco um executivo da Netflix, que anunciou a nova série original “Marco Polo” em 4K, assim como foi feito antes com “House of Cards”. Já a Samsung se comprometeu com o que chamaram de UHD Alliance, uma união entre com estúdios e distribuidores para investimento em conteúdo em ultra alta definição.

A intenção é controlar o processo de pós-produção e distribuição para que o conteúdo seja otimizado para todas as plataformas, mantendo a fidelidade imaginada pelo diretor em vários dispositivos 4K. DIRECTV, Dolby, LG, Netflix, Panasonic, Samsung, Sharp, Sony, Technicolor, Walt Disney Studios, 20th Century Fox e Warner Bros. Entertainment fazem parte do grupo.

ces-samsung-alliance

Casa

Outro aspecto de destaque das empresas são os utilitários domésticos, quase sempre apresentados com o discurso de praticidade e economia de tempo. A conectividade dos aparelhos foi pouco abordada, mas pra isso existe o hype do IoT, que falarei mais pra frente.

A LG mostrou a máquina de lavar 2 em 1, chamada Twin Wash. A proposta é permitir a lavagem de diferentes quantidades de roupa, não precisando utilizar toda a capacidade da máquina quando se tem poucas peças. Embaixo fica a Mini Washer, que pode funcionar ao mesmo tempo que a máquina maior. Já a máquina da Samsung conta com um tanque embutido e tecnologia que promete economia de energia e água.

Lavadora 2 em 1 da LG

Lavadora 2 em 1 da LG

Sustentabilidade

Também está no discurso das marcas a economia de água e energia. Para toda utilidade doméstica, há uma tecnologia específica voltada para o menor uso possível de recursos.

A Panasonic destacou a cidade construída em Fujisawa – em parceria com outras empresas – e que carrega a sigla SST (Sustainable Smart Town). Localizada a cerca de 50 km de Tóquio, é uma espécie de cidade inteligente real e operacional, que funciona de forma conectada e foi toda desenvolvida para consumir poucos recursos naturais.

Ao custo de US$ 1,3 bilhão, a estimativa da Panasonic é que 3 mil pessoas morem na cidade até 2018.

Internet das coisas

O keynote de abertura da CES 2015 foi feito por Boo-Keun Yoon, presidente e CEO da Samsung, contando a visão da empresa sobre outra buzzword que tem dominado as predições tecnológicas: IoT (Internet of Things).

No auditório para 1700 pessoas, Yoon contou sobre a visão de sua empresa para um mundo em que tudo estará conectado através de sensores e poderá ser controlado de forma remota.

Todas os televisores da Samsung serão dispositivos IoT até 2017

compartilhe

Cameras que podem monitorar a sua casa e te alertar imediatamente, portas que se trancam sozinhas, música acionada com detecção de presença, termostatos automáticos, e um potencial de ser mais do que tecnologia, mas de um estilo de vida em que as pessoas se acostumarão aos poucos a viverem online 100% do tempo.

Isso, porém, só será alcançado com colaboração. Yoon defendeu a união entre as empresas, para criação de plataformas abertas e encarar os potenciais problemas que surgirão, como privacidade e segurança.

Alguns dos exemplos mostrados me parecerem temerários, como se o maior potencial da IoT fosse permitir que as empresas saibam mais de seus consumidores e, dessa forma, façam mais publicidade direcionada. De qualquer maneira, esse é um hype que está sendo perseguido por todas as grandes empresas de tecnologia no momento.

CEO da Samsung revela visão da empresa sobre a Internet das Coisas

CEO da Samsung revela visão da empresa sobre a Internet das Coisas

Carros automatizados

ADAS é outro acrônimo que você ouvirá bastante pelos próximos anos: Advanced Driver Assistance Systems. A BMW e Mercedes-Benz apresentaram suas visões e protótipos de carros autônomos.

O i3 é conectado via app com Samsung Gear S, e tem tecnologia 360 graus de estacionamento automático. Você não é capaz de bater o carro em lugar algum, por mais que tente. O carro ainda pode ser chamado através do app. Já o F015 da Mercedes tem design futurista e também se auto-dirige.

BMW
BMW
mb

A CES abriu hoje seu centro de exposições, e segue até a próxima sexta-feira, dia 9 de janeiro. Acompanhe o @brains9 no Instagram para cobertura em tempo real.


* Carlos Merigo, editor-chefe do B9, viajou a convite da Samsung Electronics


Compartilhe:
icone de linkCopiar link