Google suspende as vendas do Glass e revê estratégias do wearable

A invasão de privacidade causada pela câmera é um dos principais pontos a serem resolvidos

por Jacqueline Lafloufa

O caríssimo Google Glass terá suas vendas temporariamente suspensas a partir do próximo dia 19. A medida é parte da estratégia do Google de remodelar o wearable para torna-lo mais atrativo e, quem sabe, menos invasor da privacidade.

A decisão, contudo, não significa exatamente o “fim” do Google Glass, mas mostra uma forte necessidade de adaptar o gadget às necessidades do público.

Para isso, o Glass vai mudar de divisão dentro do Google – sai da área do Google X, onde são trabalhados os produtos inovadores da empresa, e passa para o comando de Tony Fadell, co-fundador do termostato inteligente Nest.

Rumores sugerem que um dos principais ajustes necessários no Glass seria um LED que indicasse o funcionamento da câmera, para deixar as pessoas ao redor menos desconfortáveis com quem estiver utilizando o Glass (evitando as complicadas situações de gente que foi expulsa ou proibida de entrar em restaurantes, por exemplo, por conta do uso do gadget).

É importante frisar que a suspensão das vendas acontece apenas para os usuários finais. Empresas e desenvolvedoras que queiram adquirir o Glass para testar e desenvolver aplicativos ainda poderão solicitar a compra do wearable.

Compartilhe: