godaddy

GoDaddy mantém a tradição de desagradar o público no intervalo do Super Bowl

Marca não vai exibir o filme criado originalmente para o evento

por Amanda de Almeida

A GoDaddy tem mantido uma estranha tradição de desagradar o público com seus comerciais no Super Bowl. Em 2013, a modelo Bar Rafaeli seduzindo um garoto ficou em último lugar no AdMeter do USA Today. No ano passado, voltou a ficar entre os 5 piores com um monte de fisiculturistas correndo. E em 2015? Bom, em 2015 tudo indica que o filme originalmente produzido para o evento nem será exibido, e será substituído às pressas.

O motivo da “controvérsia” – palavra utilizada pela AdAge é que muitas pessoas tiveram respostas emocionais fortes ao assistirem ao comercial, que à primeira vista lembra bastante o filme da Budweiser no ano passado, e pediram que ele não fosse exibido. Nele, vemos um cãozinho que se perde de seus donos ao cair da caminhonete. É nesse momento que a gente se apaixona pelo bichinho, que começa a enfrentar uma difícil jornada para reencontrar sua casa e seus donos. Até aí tudo bem. O problema acontece quando ele finalmente encontra sua dona e descobre que foi vendido por meio de um site criado com o GoDaddy.

O que era para ser fofo, acaba se transformando em um tiro que saiu pela culatra.

Particularmente, eu considero as reações um pouco exageradas – aquela coisa do politicamente correto que não consegue aceitar uma piada, por mais que ela seja de mau gosto. As pessoas estão tão acostumadas com o “final feliz” dos filmes da Budweiser, que provavelmente esperariam que no caso da GoDaddy a dona tivesse criado um site para localizar o filhote perdido – e não vendê-lo.

Será que estamos ficando chatos demais?

O filme foi tirado do ar também no canal da GoDaddy no YouTube, mas você ainda pode assisti-lo clicando aqui.

Compartilhe: