mr-spock

Vida longa e próspera, Mr. Spock

"A vida é como um jardim. Momentos perfeitos podem ser alcançados, mas não preservados, exceto na memória."

por Amanda de Almeida

Às vezes uma boa história não é o suficiente: ela precisa ser bem contada. Da mesma forma, um personagem só se torna um ícone se o seu intérprete tiver talento o suficiente para torná-lo único, inesquecível. James Bond, por exemplo, vem colecionando atores nas últimas décadas, mas ninguém conseguiu deixar uma marca tão forte quanto Sean Connery. E Zachary Quinto pode até tentar, mas nunca haverá outro Mr. Spock como Leonard Nimoy.

Foi com tristeza que li a notícia da morte de Leonard Nimoy, aos 83 anos, vítima de uma obstrução pulmonar causada pelo tabagismo. Apesar de ter feito diversos filmes, o ator de aparência frágil e até um pouco estranha realmente se tornou uma das mais importantes figuras da cultura pop graças ao seu personagem de Jornada nas Estrelas.

A princípio, Spock seria um coadjuvante da série, um alienígena de caráter duvidoso. Graças a seu intérprete, entretanto, o personagem acabou se tornando um dos protagonistas, além de nos ensinar incontáveis lições ao longo de quase 5 décadas, entre séries e filmes. E a maior ironia de todas era que justamente o mestiço de terráqueo e vulcano era o mais humano da tripulação da Enterprise.

Em seu último tweet, Nimoy escreveu que “A vida é como um jardim. Momentos perfeitos podem ser alcançados, mas não preservados, exceto na memória.” Isso me fez pensar em todos os momentos perfeitos que tive ao longo da minha vida, parte deles na companhia do senhor Spock e de outros membros da Enterprise. Estão todos preservados na minha memória.

Fica, então, a certeza de que mais uma vez não precisamos nos despedir, porque Leonard Nimoy continuará vivo em sua obra e em nossas lembranças.

Vida longa e próspera, Mr. Spock.

Compartilhe: