Restaurante Ramona, em SP, cobra 30% a mais de homens para provocar sobre salários desiguais

Nesse ‘Menu Injusto’, a quem mais for dado, mais será cobrado

por Jacqueline Lafloufa

O debate sobre a desigualdade entre salários de mulheres e homens não é uma exclusividade dos EUA. Aqui no Brasil, as mulheres recebem cerca de 30% menos salário para executar as mesmas funções que homens, o que dá a elas apenas 70% do poder aquisitivo dos seus colegas masculinos.

Provocando esse debate, o restaurante Ramona, em São Paulo, adicionou uma observação em seus cardápios: os preços seriam acrescidos em 30% quando quem fizesse o pedido fosse um homem.

campanha-igualdade-salarial

Claro que houve revolta, afinal por que cobrar preços diferentes baseados em gênero, não é mesmo? Quando a indignação chegava ao seu ápice, o gerente trazia um folheto explicativo, que esclarecia que aquele ‘menu injusto’ na verdade estava tentando mostrar quão ultrajante é a diferença salarial entre homens e mulheres no mercado de trabalho. Uma ótima criação da Agnelo Comunicação, e uma corajosa ação do restaurante Ramona.

Esse tipo de provocação que questiona desigualdades com base em gênero é cada vez mais tendência no setor de comunicação e publicidade – recentemente o BuzzFeed vídeo fez uma esquete com a mesma provocação, e campanhas que andam perdendo a mão, como da Risqué e Skol, estão sendo fortemente criticadas pela audiência.

Compartilhe: