Não basta ser smartphone. Tem de ser um iPhone

Não basta ser smartphone. Tem de ser um iPhone

Pelo menos é o que defende a Apple em nova campanha

por Amanda de Almeida

O que torna um iPhone o que ele é? Seus usuários. Afinal, “99% das pessoas que têm um iPhone amam seu iPhone”, como destaca a recente campanha da Apple para seu smartphone.

O grande problema aí é que, se por um lado a Apple realmente tem fanboys (e fangirls) dos mais fiéis, a impressão que fica nesses comerciais é que somos engolidos pelo ego da marca, como se não houvesse nenhuma alternativa no mercado merecedora da atenção dos consumidores.

Apesar de ser usuária convicta do iOS em diferentes plataformas, o campo de distorção da realidade da Apple me preocupa um pouco, seja em uma campanha fraca como essa, seja no fato de, nos últimos tempos, alguns produtos – inclusive o próprio iPhone – deixarem a desejar em alguns de seus features.

Talvez a Apple precise rever algumas coisas e perceber que não basta ser um iPhone. É preciso ser “o” smartphone.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link