Você acha que o trabalho do Papai Noel poderia ser feito por uma mulher?

Pergunta foi feita à crianças, e a resposta não foi muito boa

por Rafael Silva

É de praxe: todo final de ano grandes agências publicam um vídeo agradecendo clientes e destacando seus melhores trabalhos no ano. A agência britânica Anomaly decidiu ir em uma direção contrária e fazer o que chamou de “experimento social” para seu vídeo natalino: perguntou à crianças na rua se, caso o Papai Noel fosse mulher, ela conseguiria fazer o mesmo trabalho.

As crianças responderam, em sua maioria, que não. “Ela teria que dar muitas voltas no céu e ficaria perdida” ou “ela teria dor de cabeça” ou ainda “se ela tivesse um bebê, teria que parar para amamentá-lo” foram alguns dos argumentos usados pelos pequenos. Provavelmente eles não sabem que estão perpetuando os esterótipos passados a eles, seja pelos seus pais ou pelo meio em que vivem.

E sim, pode ser só um vídeo sobre uma figura fictícia que sempre foi imaginada como um papel masculino. Mesmo assim, denota duas coisas: o quanto essa geração de ainda não está ciente de que mulheres podem ser o que quiserem e o quanto a igualidade de gênero infelizmente ainda está longe de ser alcançada.

Essa não é a primeira vez que a agência levanta a bandeira do feminismo. Em outubro, a agência fez para a revista Elle o vídeo central do movimento #MoreWomen, que destacou a ausência de mulheres em posições de poder.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link