SxSW 2016: Experiência ou #egosystem, você cria pensando em que?

O futuro da marca, da tecnologia e dos negócios

por Barbara Bono / Head of Digital da Artplan

SxSW 2016

Experiência de compra. Experiência de marca. Experiência com serviços, com música, com vídeos, com realidade virtual, social. “Experiência” poderia estar na lista das palavras mais faladas do South By Southwest 2016. Está no discurso dos grandes nomes palestrantes até no cafezinho da esquina, que virou “coffee-experience”. Parece ser isso que todos querem provocar por aqui. Ou aprender a provocar.

Mas a banalização da palavra pode nos fazer esquecer do que está por trás de fato dessa história: os sentidos. Experiência é o que te faz sentir. Logo, aproveitar a tecnologia do momento como os óculos de realidade virtual pode ser ótimo, mas se a sua marca/ação/projeto não está de fato tocando os sentidos daquela pessoa, no máximo o que você está conseguindo é interação, não é experiência. Isso aqui é experiência de verdade:

Experiência é criar momentos que importam para as pessoas, todo o resto é #egosystem”

A frase de impacto de Brian Solis, foi ovacionada durante o painel “O futuro da marca , tecnologia e negócios é a experiência”, ao longo do último dia de Interactive. Não é pra menos, estamos realmente cercados de aplicativos que oferecem tudo o que queremos a qualquer momento. O paralelo com o ego acaba fazendo sentido. E, fica martelando a partir de então, o que vem pela frente, qual o sentido real da experiência que queremos provocar?

Para sair da armadilha do egocentrismo de marcas e clientes há um caminho que passa pela inovação. Se você tem uma nova perspectiva, se quer desaprender para criar realmente momentos que importam para as pessoas, está no rumo da experiência de fato.

Uma vez entendido o papel da inovação vem a reconstrução do storytelling. Mais do que se preocupar com a plataforma, estar atento à forma como apresentar seu projeto é fundamental para atingir essa trinca marca X tecnologia X experiência.

Um e-commerce tem uma história por trás, a presença da marca em redes sociais precisa de uma história por trás, o projeto com VR tem uma história a ser contada. São essas histórias (com base em inovação) que trazem a conexão, o sentir, para que a gente chegue na experiência. Enquanto a lógica do formato for mais importante do que a linguagem, vamos seguir no mundo do egocentrismo dos negócios e ficar cada vez mais distante das pessoas.

#BrasilAtSXSWA cobertura B9 do SxSW 2016 tem apoio da Apex-Brasil

Compartilhe: