Inteligência artificial do Google é capaz de melhorar fotos de baixíssima resolução

E também de transformar humanos em monstros

por Leonardo Muraoka

O time do Google Brain conseguiu dar um grande passo em sua tecnologia de melhorar a resolução de imagens. A partir de um quadrado de 8×8 pixels, eles conseguiram chegar até uma imagem nitidamente aceitável. O problema é que algumas vezes pessoas tiveram seus rostos um pouquinho desfigurados.

Redes neurais artificiais são a nossa maior chance em melhorar o nível de detalhes em uma imagem de baixa resolução. Quando só se tem poucos pixels de informação, é praticamente impossível de um humano prever o que eles formariam. Mas com a inteligência artificial treinada, e que se adapta e aprende a cada vez que o processo é efetuado, conseguimos adivinhar e chegar a resultados até que satisfatórios.

Abaixo temos um exemplo do que o Google Brain foi capaz de fazer:

A imagem da direita é uma foto real, de 32×32 pixels, na esquerda, a mesma imagem reduzida a 8×8, e no centro o que a inteligência artificial foi capaz de deduzir baseado na imagem de baixa resolução. O processo consiste no programa buscar em um banco de dados imagens semelhantes a estas, abaixar a qualidade e tentar encontrar um padrão entre os pixels coloridos das duas.

Depois, o computador tenta definir o que a imagem seria, no caso, celebridades. A partir disso, as redes neurais começam a tentar adivinhar o posicionamento de partes do rosto, como as narinas, e por aí vai.

O Google fez uma pesquisa com humanos, e por volta de 10% dos entrevistados conseguiram se confundir e achar que as amostras melhoradas com o Google Brain fossem as imagens reais, quando colocadas lado a lado com as originais.

Compartilhe: