IBM Watson permite conversar com as obras de arte da Pinacoteca de São Paulo

Mostra interativa “A Voz da Arte” utiliza inteligência artificial para responder perguntas sobre as pinturas e esculturas

por Carlos Merigo

Antigamente você ia ao museu e podia contar com uma pessoa de verdade para te guiar pelas obras. Depois vieram os audio-guias, que inclusive se tornaram mais uma fonte de renda para as instituições. Com a internet, uma pesquisa no Google podia ajudar, e, mais recentemente, até playlists no Spotify e outros serviços de streaming se tornaram uma importante ferramenta para engajar os visitantes.

Como parte das comemorações de seus 100 anos no Brasil, a IBM decidiu tornar essa experiência de conhecimento ainda mais interativa. Em parceria com a Pinacoteca de São Paulo, a empresa utilizou o poder cognitivo do Watson para permitir que as pessoas conversem com as obras.

Intitulado a “A Voz da Arte”, o projeto responde perguntas e explica o significado de detalhes das pinturas e esculturas, traça ainda um contexto histórico, conta sobre seus autores, a relação com o cotidiano, entre outras curiosidades. Tudo alimentado pela inteligência artificial do Watson.

72% dos brasileiros nunca pisou em um museu

compartilhe

Os visitantes recebem um dispositivo com o aplicativo específico na entrada da Pinacoteca. Ao caminhar pelo museu, notificações apitam de acordo com a proximidade das obras interativas. Toda a interação é realizada em português.

A mostra “A Voz da Arte” será aberta ao público na quarta-feira, 5 de abril, e ficará disponível por dois meses (até 5 de junho).

Para a IBM, é um ótimo exemplo de humanizar sua tecnologia de inteligência artificial através da arte. E para a Pinacoteca, um modo de aproximar o público de suas obras. Segundo dados da instituição, 72% dos brasileiros nunca pisou em um museu.

Compartilhe: