Mais tretas: 440 mil brasileiros tiveram dados vazados pelo Facebook e empresa confirma que espiona conversas no Messenger

Total de contas violadas pela Cambridge Analytica chega a 87 milhões

por Soraia Alves

Na série “Todo dia uma notícia nada boa sobre o Facebook“, o episódio de hoje traz duas novas informações que engrossam os problemas envolvendo a privacidade dos dados coletados pela empresa.

Em uma análise mais profunda sobre caso Cambridge Analytica, o Facebook confirmou que o total de contas que tiveram seus dados vazados no incidente é de, aproximadamente, 87 milhões, número maior que os 50 milhões informados inicialmente.

Desse total, mais de 440 mil usuários são brasileiros. Apesar do grande número, o maior país atingido foi mesmo os Estados Unidos, com mais de 70 milhões de vítimas. Em segundo lugar vem as Filipinas.

Os dados foram roubados através de um aplicativo de teste de personalidade, que pedia para logar com o Facebook para rodar. As informações coletadas pela Cambridge Analytica teriam sido usadas para direcionar propagandas eleitorais aos eleitores dos Estados Unidos na última eleição que elegeu Donald Trump.

Todas as pessoas que tiveram seus dados vazados receberão uma notificação oficial do Facebook em seus próprios perfis. Além dos avisos, a empresa está mudando suas restrições de acesso à sua API, a fim de bloquear o acesso à antiga API do Instagram.

Espionagem no Messenger

O Facebook também nesta semana que escaneias as conversas dos usuários no Messenger. Segundo a empresa, a medida, que analise textos, fotos e links, é um esforço para garantir que as pessoas não estão infringindo suas regras.

Em entrevista à Vox, Mark Zuckerberg explicou que os sistemas da empresa “detectam o que está acontecendo” quando as pessoas tentam violar as regras da plataforma e “impede que essa mensagem seja transmitida”.

A empresa também disse ao Bloomberg que analisa as conversas do Messenger da mesma forma que faz com o conteúdo público na rede social, a fim de evitar abusos. As mensagens que violam os padrões da comunidade do Facebook são lidas pelos moderadores, que podem bloquear ou derrubá-los, se necessário.

É claro que a revelação irritou muita gente, principalmente os usuários que acreditam que o Messenger era realmente privado.

Compartilhe: