“Um Lugar Silencioso” quase virou episódio da série “Cloverfield”, afirmam roteiristas

Filme dirigido por John Krasinski se tornou recentemente a maior bilheteria de estreia de um filme de terror original no circuito estadunidense

por Pedro Strazza

“Um Lugar Silencioso” é hoje um grande sucesso de bilheteria e um baita de um acerto da Paramount em seu calendário de estreias. Além de ter superado as expectativas dos analistas em quase vinte milhões de dólares, o filme dirigido por John Krasinski se tornou neste fim de semana a maior estreia de um filme de terror original na História do circuito de cinemas dos Estados Unidos, com sua arrecadação de cinquenta milhões de dólares ficando atrás apenas dos sucessos estrondosos de “It – A Coisa” e “Atividade Paranormal 3” no ranking geral do gênero – valores, claro, que superam com tranquilidade o orçamento de menos de 20 milhões de dólares da produção.

Todo este sucesso obtido pela produção, porém, não era tão garantido quanto parece ser agora. Tanto que os roteiristas Scott Beck e Bryan Woods, autores do argumento inicial e responsáveis pelo roteiro do longa ao lado de Krasinski, afirmaram recentemente em entrevistas que o filme por um momento quase se tornou parte da franquia “Cloverfield”, franquia de terror também pertencente à Paramount que em seus dois últimos capítulos adquiriu produções alheias e as incorporou à sua complexa mitologia.

A revelação se deu durante uma entrevista ao /Film, onde Beck e Woods afirmaram que a venda não só não rolou por pouco como também quase fez um crossover com “Rua Cloverfield, 10”, que na época estava em produção no estúdio. “Eu acho que o pensamento cruzou nossas cabeças e nós conversamos com nossos representantes sobre esta possibilidade” diz Beck; “Era um timing esquisito, porém, porque quando estávamos escrevendo o roteiro, ‘Rua Cloverfield, 10’ estava com a Paramount. Nós na verdade estávamos conversando com um executivo de lá sobre este filme, e desde a proposta dava pra sentir que podia rolar um crossover, mas quando nós enfim levamos o roteiro final ao estúdio eles viram que era um filme completamente diferente”.

Para Woods, a decisão do estúdio em não incluir “Um Lugar Silencioso” na franquia “Cloverfield” no fim foi ótima para o filme. O roteirista afirma que a ideia de ver o projeto ser incorporada a uma série cinematográfica ou marca maior era “um dos principais temores” de ambos os idealizadores, que dizem prezar por ideias novas e originais em um mercado tão dominado por remakes e sequências: “Nós também vemos e gostamos destes filmes [adaptações, remakes e sequências], mas nosso sonho é de sempre criar algo diferente no mercado, então ficamos felizes que a Paramount tenha abraçado o filme como um coisa própria”.

“Um Lugar Silencioso” atualmente está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Compartilhe: