Revista Time faz redesign da própria capa e provoca governo Trump

Em atitude rara, revista americana “repete” capa antiga para expor escândalos da administração do presidente

por Ana Roza

A Casa Branca passa por um momento difícil. Essa é a única mensagem que prevalece entre as capas lançadas pela “Time”. Uma em 2018, outra, em 2017. Em atitude rara, a revista americana decidiu redesenhar sua própria capa, como um complemento (e reforço) do caos em volta da atual administração de Trump.

A capa “Stormy”, da edição de abril deste ano, republica a capa de Tim O´Brien, “Nothing to See Here”, de fevereiro de 2017. Chamada de capa de retorno, ela traz detalhes adicionais referentes aos novos escândalos. A revista também fez uma breve animação para divulgar o material em seu Twitter. No texto, que segue para a reportagem completa, a “Time” usa termos ambíguos para provocar o presidente sobre os últimos acontecimentos.

“Donald Trump contava com Michael Cohen para enfrentar a tempestade. Agora, o presidente está por sua conta”, diz o texto. A citação é uma referência ao afastamento do advogado de Trump, Michael, por conta de uma investigação com o FBI. Ele teve seu escritório invadido em busca de evidências contra o presidente. Os agentes acusam o advogado de pagar o silêncio de duas mulheres, que supostamente teriam se envolvido com Trump. Uma delas é a estrela pornô Stormy Daniels – ou seja, o “Stormy”. A capa não perde a oportunidade e destaca o nome em paralelo com o termo “tempestade”, em inglês.

Os detalhes por trás da produção são descritos em um artigo especial da “Time”. O’Brien comenta as diferenças sociais em volta das duas edições. Para ele, o primeiro momento trazia mais esperança. Apesar da tempestade, ele acreditava que o governo tinha “patriotas dos dois lados”, que iriam se colocar à frente da bagunça e controlar as coisas.

“A medida que o fluxo interminável de notícias invadia a Casa Branca, as demissões, os escândalos e o caos geral encheram as manchetes e eu senti que a metáfora da tempestade era tão relevante quanto antes. Eu pensei principalmente em como a água preencheria o espaço, como seria transparente em algumas áreas e reflexivo em outras” afirma O’Brien, na reportagem.

O desenvolvimento da primeira capa pode ser visto abaixo:

Todas essas brincadeiras de duplo sentido despertam duas sensações. Primeiro, a “Time” tem o timing perfeito em suas reportagens, equilibrando provocações em títulos emblemáticos. Segundo, com Trump na administração, ainda existem alguns anos pela frente para novas capas de “I told you so” se repetirem.

Compartilhe: