Sudeste asiático cria “exército de bots” no Twitter e plataforma não parece estar preocupada

Milhares de contas com nomes genéricos, sem foto de perfil, sem biografia e sem tweets invadiram a rede social no último mês

por Soraia Alves

Enquanto o Facebook está passando por uma fase de “dar explicações” em relação a como terceiros estão usando seu serviço para alcançar usuários, o Twitter parece não estar muito preocupado em como os bots presentes na plataforma podem acabar exigindo os mesmos tipos de explicações da plataforma.

No último mês, a rede social viu um grande número de perfis bots entrarem na plataforma, principalmente vindas do sudeste da Ásia, e que seguem em massa usuários da mesma região, incluindo Tailândia, Mianmar, Camboja, Hong Kong, China, Taiwan e Sri Lanka.

Dezenas de repórteres e usuários do Twitter com muitos seguidores notaram milhares de contas com nomes genéricos, sem foto de perfil, sem biografia e sem tweets começaram a seguir segui-los desde o mês passado.

Essas contas podem ser uma evidência de um novo “exército de bots”, prática de criação de um grande número de contas para venda ou uso sob demanda, e que foi reprimida pelo Twitter há alguns anos.

Embora as novas contas ainda não tenham feito ” nada de errado”, o fato de que um grande número de bots recém-criados surgiram do nada com o objetivo de seguir as vozes mais influentes da região deve ser o suficiente para preocupar o Twitter. Especialmente porque é no sudeste da asiático, uma região onde o Facebook está envolvido em controvérsias, incluindo o caso incitação à intolerância religiosa em Mianmar.

Apesar de toda a desconfiança, o Twitter ainda não se pronunciou sobre o caso e, segundo fontes do TechCrunch, a empresa tem lidado com a situação como “um problema de inscrição ou de integração padronizado“, que acontece quando novas contas selecionam seguir as contas sugeridas pelo Twitter durante o processo de criação de um novo usuário.

Compartilhe: