Depois de tweet preconceituoso da criadora, ABC enfim cancela série “Roseanne”

Canal decidiu pelo fim do revival após Roseanne Burr comparar muçulmanos e “Planeta dos Macacos” ao destratar ex-assessora do presidente Obama na rede social

por Pedro Strazza

Demorou nove episódios, mas a ABC finalmente resolveu cancelar “Roseanne”, revival da popular série de comédia dos anos 80 e 90 estrelada por atores como John Goodman e Laurie Metcalf. As razões, porém, não estão relacionadas aos números de audiência – que inclusive chegaram a render o anúncio de uma segunda temporada algumas semanas atrás – mas sim com o comportamento da criadora e protagonista da sitcom Roseanne Barr nas redes sociais.

Para ser mais exato, a decisão do estúdio se deu após um tweet feito pela showrunner na manhã de hoje (29) em que ela se referia à antiga assessora do ex-presidente Obama, Valeria Jarrett, como uma “descendente da irmandade muçulmana com o ‘Planeta dos Macacos’” para se referir ao visual da ex-funcionária federal. Embora Barr tenha deletado o comentário pouco depois de publicá-lo e emitido um pedido de desculpas à assessora e “todos os americanos” com a promessa que deixaria o Twitter, a piada de extremo mau gosto pelo visto foi a gota d’água para os executivos da emissora desligarem a série.

“A declaração de Roseanne no Twitter é detestável, repugnante e inconsistente com nossos valores, e por isso nós decidimos cancelar o seu show” afirmou o presidente do canal Channing Dungey no anúncio oficial da descontinuação do programa. Outros que emitiram opiniões sobre o tweet de Barr foram Wanda Skyes, produtora consultora do revival que anunciou que não voltaria para a próxima temporada depois da comparação racista, e a atriz Sara Gilbert, que declarou achar repugnante as opiniões da colega e chefe: “Os comentários recentes de Roseanne sobre Valerie Jarrett, e muito mais, são repugnantes e não refletem as crenças do nosso elenco, equipe ou qualquer pessoa associada ao show. E estou desapontada com suas ações, para dizer o mínimo.” ela disse.

O retorno de “Roseanne” à televisão é condenado por grandes parcelas do público desde o anúncio de sua produção. Além de Burr ser uma figura problemática e controversa na mídia, estrelando casos como o de uma sessão de fotos em que ela aparecia vestida de Hitler cozinhando judeus, o próprio programa parecia ser um passo para trás no caso de representatividade de minorias na televisão ao trazer como protagonistas de uma produção de destaque uma família branca que fazia piadas com negros e mulheres. A permanência da sitcom na programação ficou ainda mais questionável quando um dos episódios fez piada com as séries do canal “Black-ish” e “Fresh Off the Boat” (dois seriados que se destacam pela representação de negros e asiáticos, respectivamente), com a personagem de Burr reduzindo os dois programas a “programas sobre pessoas como nós” depois que ela e o marido (interpretado por Goodman) dormem em frente à televisão.

Compartilhe: