102998204-IMG_8154rr.1910×1000

Fox resolve pressionar Comcast e marca data para votação da venda para a Disney

Reunião entre acionistas do estúdio deve decidir de uma vez por todas se a nova proprietária da 21th Century Fox é a Disney ou qualquer uma de suas eventuais concorrentes

por Pedro Strazza

Depois da Comcast revelar ao mundo na semana passada que está interessada em comprar a 21th Century Fox e todas as suas propriedades, a própria Fox resolveu rebater a declaração colocando mais lenha na fogueira. O estúdio marcou hoje a data da reunião que vai decidir de uma vez por todas se a empresa deve ou não ser vendida à Disney, impondo um tempo limite para que a concorrência faça seu movimento para tentar adquiri-la das mãos da empresa de Mickey e seus amigos.

A reunião, no caso, é a votação final dos acionistas para aprovar a oferta de 52 bilhões de dólares feitas por Bob Iger no ano retrasado, que atualmente espera aprovação do Congresso estadunidense para ser efetivada de fato. A Fox marcou o evento para o próximo dia 10 de julho, mas porta-vozes já confirmaram que adiamentos podem acontecer caso novos “acontecimentos” imponham a necessidade de tempo adicional para os votantes reconsiderarem suas escolhas.

Estes “acontecimentos” se referem, claro, a uma eventual proposta feita pela Comcast, que afirma estar preparando uma oferta que não só supera a da Walt Disney Co. mas também será toda feita em dinheiro vivo. Mas vencer a corporação chefiada por Iger não será uma tarefa fácil: além da Fox estar incentivando os investidores a votar à favor da Disney na reunião do dia 10, o próprio CEO da empresa James Murdoch vem se mostrando um grande apoiador público da compra, inclusive afirmando ontem que o principal atrativo do negócio é justamente a combinação entre os dois estúdios.

Nada muito significativo deve acontecer nestas negociações, entretanto, até o próximo dia 12 de junho, quando a decisão do governo dos Estados Unidos sobre aprovar ou não a fusão entre as gigantes Warner Bros. e AT&T-Time deve esclarecer se um acordo destas proporções pode acontecer no mercado.

Compartilhe: