Cannes Lions 2018: Sem risco não se constrói uma marca

“No risk, no glory”, disse Bozoma St John, ex-Chief Brand Officer do Uber

por Gabriel Cardoso

Segundo dia. Já adaptado ao clima do Festival, tirando um pouco de jetlag e o sono pós festa de abertura, fui em busca da melhor agenda do dia.

Para primeiro horário do dia, selecionei um painel que trazia como objetivo mostrar para as marcas que sem risco, não existe chance alguma de crescer: Taking risks and building brands. No painel estavam 3 mulheres: Bozoma St John – ex-Chief Brand Officer do Uber, que acaba de ir pra Endeavor, Lilly Singh – YouTube Content Creator e a Stephanie Mcmahon – Chief Brand Officer da WWE.

Bozoma, apelidada de Boz, mostrou para que veio e por que chegou onde está. Roubou a cena, e com seu carisma, fez todos se interessarem pela sua história. Não por menos, vinda do subúrbio de Nova York, ela que já esteve por muitos anos no comando da Apple Music/iTunes, organizou eventos singelos como o show da Beyonce na final do Super Bowl e participou de campanhas da Beats by Dr. Dre. Sempre envolvida com música, território friendly e que todos adoram, decidiu então que para mostrar para si própria que tinha superpoderes, ela precisava de novos desafios. A frase que ela usou nesse momento foi: “no risk, no glory” e, que para isso, teria que deixar esse território seguro da música.

Foi aí que o Uber apareceu. Uma empresa de tecnologia, relativamente nova e disposta a se atualizar a cada 24 horas. Atuar em mais de 600 cidades, com milhões de motoristas conectados não parece uma tarefa fácil, mas, do jeito que ela leva a vida e enfrenta os desafios tudo parece possível. Sem dúvida saí de lá inspirado, em busca da próxima sessão. Desafio e atualização com certeza correm lado a lado no dia dela e deveriam correr no nosso também.

Compartilhe: