Novo comercial da Nike crava que o futuro do futebol… é na China

Inglaterra, enquanto isso, parece que vai seguir sem trazer a taça da Copa do Mundo pra casa

por Pedro Strazza

Talvez para fazer um aceno ao mercado chinês, talvez porque tenha sido para incentivar uma seleção menor do futebol, a Nike resolveu promover um comercial que propõe que a China vá ser a próxima grande potência do esporte do futuro, tanto para a modalidade masculina quanto da feminina. É um futuro que já tem até data para acontecer: 2033, ano em que um astro chinês do porte das grandes lendas futebolísticas há de ser revelado.

Criado pela chinesa Wieden & Kennedy Shanghai, o vídeo parte da paródia para chegar ao tenro. A princípio revelando um jogador chinês que bate falta igual o português Cristiano Ronaldo e se mostra o terror de outros times como o próprio Portugal, o comercial passa a zuar diretamente os ingleses quando mostra eles chorando porque sua seleção caiu no grupo da China na Copa do Mundo – é do choro deles, inclusive, que se alimenta a indústria nacional do país asiático, que vê suas empresas de lencinhos de papel estourarem depois do anúncio das ordens dos grupos do torneio. Depois de apresentar um Manchester City tão poderoso que é capaz de comprar não um mas três jogadores chineses, a peça termina retornando a 2018 para apresentar a real nova geração de esportistas chineses, jovens recrutados pela marca em metrópoles chinesas como Beijing, Shangai e Guangzhou para estrelar o comercial.

De acordo com a Nike, o principal objetivo do vídeo foi exatamente de inspirar esses jovens. “Nós vimos esta campanha como uma oportunidade de fazer uma declaração e iniciar uma conversa sobre o futebol na China” afirmaram os diretores criativos da W&K Matt Skibiak e Dong Hao ao Ad Age; “Por que a China não pode ser grande? Este filme está claramente do lado dos atletas que acreditam que ela pode ser. Porque se ninguém está disposto a imaginar que isso pode ser possível, eles nunca vão chegar lá na vida real”.

Ainda que a maioria das previsões feitas pela marca soe maluca nos dias de hoje, uma a gente com certeza pode concordar que é bem provável de acontecer: a Inglaterra sofrendo e mantendo intacta a profecia de retornar para casa a tão desejada taça.

Compartilhe: