Empresa do Vale do Silício testa serviço de ambulâncias autônomas e voadoras

Projeto quer lançar em janeiro de 2019 pequenos helicópteros equipados com tecnologia que permitiria o voo sem pilotos

por Soraia Alves

Um novo serviço de ambulância voadora está sendo testado no Vale do Silício. O projeto tem a intenção de lançar em janeiro de 2019 pequenos helicópteros com espaço para até 4 passageiros, mas equipados com tecnologia que permitiria o voo sem pilotos.

Segundo o The New York Times, alguns testes já foram feitos em São Francisco na semana passada, com um helicóptero vermelho e branco bem no estilo ambulância mesmo. O helicóptero, porém, por enquanto é pilotado por pilotos experientes.

O novo serviço de emergência será operado pela SkyRyse, uma empresa iniciante do Vale do Silício que quer automatizar pequenos helicópteros e outras aeronaves de passageiros com hardware e software que permitam voos em pilotos. A ideia segue as mesmas tecnologias que alimentam carros sem motoristas, incluindo câmeras de 360° ​e sensores de radar embutidos na ponta da aeronave.

Outras startups também estão criando tecnologia similares, como a Sikorsky, subsidiária da empresa de defesa Lockheed Martin, a Xwing e a Aurora, companhia pertencente à Boeing.

O serviço atenderia chamadas do 911, e levaria médicos e profissionais da saúde para o atendimento urgente, aumentando o número de socorros prestados. Mas, além disso, outras motivações permeiam o projeto, como a economia gerada pelo não pagamento de pilotos e a possibilidade de novos tipos de atendimentos oferecidos.

A SkyRyse recebeu um investimento de US$ 25 milhões para desenvolver essas ambulâncias autônomas, incluindo investimentos das empresas de capital de risco do Vale do Silício Venrock e Eclipse.

Mesmo com os planos de lançar o serviço oficialmente em janeiro, o maior obstáculo da SkyRyse será convencer os reguladores e até mesmo o público de que o voo autônomo é seguro.

Compartilhe: