Clicky

Também tem espaço para a bicicleta no Salão do Automóvel
Bike Powered by Bosch

Também tem espaço para a bicicleta no Salão do Automóvel

Os veículos elétricos com preços mais acessíveis

por Luiz Yassuda

Uma curiosidade interessante: há espaço para as bicicletas e outros meios de transporte de pequeno porte no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

Sim. Algumas marcas estão exibindo conceitos em bicicletas elétricas, patinetes e afins.

A EDG, do piloto brasileiro Lucas Di Grassi, por exemplo, exibe a sua bicicleta Niobium. Mais uma bicicleta elétrica, você irá dizer. Mas esta traz algumas novidades, como um app de gestão da bicicleta, diferentes potências do motor e baterias espalhadas por todo o quadro, ocasionando uma “cara” de bicicleta comum.

EDG Niobium

EDG Niobium

No mesmo espaço, da CBMM, há também a exposição do serviço de aluguel de patinetes Ride, uma startup paulistana que testa o serviço na cidade há alguns meses. Se tomar de assalto a cidade como as bicicletas da Yellow, promete mudar consideravelmente o meio de transporte mais utilizado nas ciclovias de São Paulo.

Patinetes da Ride

Patinetes da Ride

Em tempo: em rápido test drive feito nas bikes da EDG e no patinete da Ride, as bicicletas elétricas realmente dão muito mais impulso do que parece e não é tão fácil se equilibrar no patinete quanto pintam por aí.

As bikes também estão em estandes das montadoras. Todas promotendo olhar para o futuro e, portanto, com seus modelos de e-bikes. Veja alguns modelos clicados por aí.

Bicicleta elétrica da Hyundai

Bicicleta elétrica da Hyundai

Bicicleta elétrica da Volkswagen

Bicicleta elétrica da Volkswagen

Uma coisa interessante nessas máquinas é o fato de tornarem o maquinario elétrico bastante acessível. Bikes elétricas custam pouco menos do que motos e produtos como patinetes e monociclos elétricos já podem ser encontrados no Brasil por preços próximos a 1000 reais. Antes que o carro elétrico invada as ruas nos próximos anos, serão estes os aparelhos responsáveis por eletrificar o transporte individual do brasileiro.

Em regiões de geografia acidentada, pode ser aquele empurrãozinho para vencer o papo de que as cidades têm morros demais para se subir de bicicleta.

Compartilhe: