Hoodlum e a produção de conteúdo online em Hollywood

por Carlos Merigo

Os grandes estúdios de cinema e TV foram alguns dos primeiros a perceber a força do entretenimento digital, e hoje, podemos afirmar, sem exageros, que Hollywood está na frente do negócio antes de qualquer marca. Obviamente, já dominam o conhecimento de contar histórias há décadas, mas também estão conseguindo fazer a transição do offline para o online de modo menos doloroso, ainda que nunca indolor.

Mais do que uma questão de divertir “essa galerinha bacana da internet”, é uma necessidade crucial de comunicação para os estúdios. A internet desperta e gera interesse contínuo para novas produções.

Hoodlum

E se a maioria de nós pensa que os executivos de Hollywood adorariam ter em suas mãos o controle de novas divisões de entretenimento digital e interativo, o que seria absolutamente natural, tudo muda quando nos perguntamos como fechar essa conta.

Os estúdios tentaram, e muitos ainda desejam fazer tudo dentro de casa, mas não demoraram a perceber que isso custa dinheiro. Roteiristas, diretores e atores exclusivos para internet também querem seus salários, equipamentos e cafeteiras trabalhando o dia todo.

É uma divisão essencial, mas que não se paga. O dinheiro que financia a produção de conteúdo online sai da verba designada para o produto de cinema ou TV.

A solução: terceirizar. E é aí que entra uma agência australiana chamada Hoodlum. Criada modestamente em 1999, a Hoodlum não demorou a se tornar uma especialista em transformar o universo de séries de TV em experiências online. Segundo eles, o objetivo é evoluir a história original para multiplataformas, e não substituir ou competir.

Assim como as outras empresas especializadas, que temos até no Brasil, os australianos se vendem com buzzwords de marketing: “branded integration” e “storytelling.” A diferença é que apresentaram cases que os colocaram no radar da indústria, e até de marcas fora do mercado de entretenimento, como Pepsi e Toyota.

Hoodlum

A Hoodlum ganhou BAFTA com o trabalho online para a série “Spooks” da BBC, e produziu a websérie “Primeval Evolved” em parceria com a Impossible Pictures. Mas foi com “Lost” que a agência conquistou duas indicações (ganhando um) ao Emmy, com o game online FIND815 e todo o conteúdo extra da Dharma Iniciative na internet, incluindo o “Dharma Wants You”.

Apesar do interesse de grandes marcas, a Hoodlum quer continuar trabalhando com entretenimento e conteúdo online, e sua liderança hoje entre os estúdios de Hollywood, sugere concorrência. Além de observar esses australianos, devemos prestar atenção em futuras empresas desse mercado. Afinal, quem é que não quer ter um briefing relacionado a “Lost” na mão?

| Via Wired

Compartilhe: