Google é multado em 57 milhões de euros por violação de privacidade

Penalidade aplicada na França é o primeiro grande feito baseado em nova legislação

por Matheus Fiore

No ano passado, foi implementada na Europa uma nova lei destinada à proteção de dados dos usuários. Criou-se, então, a expectativa sobre como essa lei impactaria nas movimentações de empresas gigantes da tecnologia.

O primeiro grande caso aconteceu nessa semana. O Google foi multado em 57 milhões de euros, como reportou o New York Times. O motivo da multa é a metodologia de trabalho do Google, que não é transparente quanto à forma que coleta os dados dos usuários por meio de seus serviços (como o mecanismo de pesquisa, o Google Maps e o YouTube) para criar anúncios personalizados.

De acordo com a CNIL (Comissão Nacional de Informática e Liberdade), o Google dificulta que seus usuários entendam e gerenciem suas preferências em relação ao uso de seus dados pessoais, especialmente em termos de publicidade direcionada. Em suma: as pessoas não teriam pleno controle sobre como o Google manuseia os dados coletados.

Questionado sobre a multa, um porta-voz do Google disse que a empresa está comprometida com as novas normas européias e pretende atender aos “altos padrões de transparência e controle” que se espera dela. É provável, então, que a empresa vá atualizar suas políticas de uso em breve, como já fez o Facebook.

Empresas como o Google e o Facebook são constantemente questionadas a respeito da privacidade de seus usuários. No caso da companhia de Mark Zuckerberg, porém, houve um preparo especial para se adequar às novas leis de privacidade da Europa. Em 2018, o Facebook divulgou seus princípios de privacidade e segurança para evitar casos como o do Google.

Compartilhe: