Samsung vai parar de produzir e vender aparelhos Blu-Ray nos Estados Unidos

Crescimento do streaming e quedas seguidas nos números de vendas de discos Blu-Ray estão por trás da decisão da marca, que segue a rival Oppos no abandono desta seção do mercado

por Pedro Strazza

Uma das principais fabricantes de aparelhos Blu-Ray hoje, a Samsung vai parar de produzir e vender equipamentos do tipo nos Estados Unidos. A decisão inclui não apenas versões tradicionais como os reprodutores 4K e 1080p, com planos para o lançamento de novos modelos da marca este ano sendo cancelados. A informação foi dado por um representante da empresa ao CNET.

A decisão surpreende pelo caráter drástico do movimento e dado que a Forbes havia relatado no fim da semana passada que o plano era apenas de descontinuar a linha de aparelhos Blu-Ray 4K, mas não se considerar o cenário. Por mais que o mercado de de blu-rays ultra HD continue a crescer no território estadunidense, a venda de discos vem traçando uma trajetória oposta, acumulando quedas trimestrais de até 11,5% no mercado do país segundo informações da Variety.

A culpa deste processo, em parte, está no mercado de streaming. Com cada vez mais plataformas sendo anunciadas e uma oferta de filmes crescente por conta deste boom, a tendência do público estadunidense é a de abandonar gradualmente ou mesmo interromper de vez o consumo de discos blu-rays, em muitos casos até trocando a mídia mais moderna pelo bom e velho DVD – que por incrível que pareça ainda mantém metade das vendas totais de discos no território.

Mesmo os números positivos das vendas de aparelhos não são tão animadores assim. Um dos principais grupos por trás da divulgação do mercado de home entertainment hoje, o Digital Entertainment Group afirma que embora 2,3 milhões de reprodutores Blu-Ray tenham sido vendidos somente nos Estados Unidos nos primeiros nove meses de 2018, uma boa parcela destas unidades inclui consoles de videogames “que talvez nunca toquem um disco de filme”.

A tendência, claro, é que o que acontece nos EUA acabe acontecendo no resto do mundo. No Brasil, onde o Blu-Ray hoje é visto como um “luxo” ao invés da mídia dominante, a Samsung já confirmou ao Tecnoblog que também já encerrou há tempos a produção de novos modelos – atualmente apenas alguns poucos reprodutores da LG e da Sony são vendidos no país.

A saída da Samsung acontece pouco menos de um ano depois da Oppo, uma de suas principais concorrentes, ter anunciado a interrupção progressiva da fabricação de seus aparelhos e no mês seguinte ao fim da UltraViolet, a primeira grande tentativa da indústria em reconhecer o meio digital sem perder de vista a mídia física e que oferecia a versão digital do filme no disco. Com as duas de fora, a tendência agora é a Sony e a Panasonic dominarem o mercado estadunidense, já que ambas mantém-se firme e fortes no anúncio e lançamento de novos modelos.

Compartilhe: