Documentário sobre crimes de pedofilia de Michael Jackson faz rádios banirem músicas do cantor de sua programação

Repercussão das exibições iniciais de “Leaving Neverland” na HBO levaram redes no Canadá e na Nova Zelândia a tirar o catálogo do artista das listas de reprodução de suas estações

por Pedro Strazza

Michael Jackson é sinônimo de pop e dança desde que estourou no mundo da música nos anos 80, nem mesmo sua morte sendo capaz de dissipar o sucesso do artista entre o público. Um recente documentário, porém, pode estar mudando esta posição “intocável” que o cantor alcançou na indústria: desde o seu lançamento no último final de semana, “Leaving Neverland” vem atiçando um intenso debate nas redes sociais ao trazer aos holofotes os depoimentos de duas das vítimas dos atos de pedofilia e abuso sexual da estrela do pop.

O efeito do longa de Dan Reed, porém, pelo visto vai além do mero impacto da polêmica na internet. Depois da exibição das duas partes da produção na HBO neste sábado (2) e domingo (3), rádios de diferentes países aparentemente deixaram de reproduzir músicas do cantor em sua programação por conta do conteúdo do filme, que é feito basicamente de duas longas entrevistas de quatro horas com Wade Robson e James Safechuck sobre suas diversas visitas ao rancho Neverland de Jackson nos anos 90 – e, de maneira mais específica, o que o cantor fazia com elas na privacidade dos quartos do terreno.

No Canadá, três das principais estações da cidade de Montreal – a CKOI, a Rythme e a The Beat – tomaram a decisão em virtude das reações dos ouvintes à produção, de acordo com a Canadian Press. “Nós sempre estamos atentos aos comentários de nosso público, e ontem a noite o documentário causou algumas reações” escreveu à imprensa canadense a diretora de marketing e comunicações da Cogeco, empresa que é dona dos três veículos e outras 20 rádios espalhadas pelo território – que sim, também devem seguir o banimento da obra do cantor de seu catálogo.

Embora outras empresas não tenham seguido a decisão da Cogeco, o impacto da exclusão de Jackson da programação destas rádios é grande: juntas, as 23 rádios da companhia alcançam mais de cinco milhões de canadenses toda semana.

Já na Nova Zelândia a situação é ainda mais grave porque a MediaWorks e a NZME, as duas redes de rádio predominantes no país, declararam nesta quarta (6) que não irão mais reproduzir qualquer uma das músicas de Jackson em seus veículos mesmo antes de “Leaving Neverland” ser exibido no território – que acontece neste próximo fim de semana, entre os dias 9 e 10 de março. “Nós não estamos decidindo se Michael Jackson é culpado ou não de pedofilia. Nós apenas estamos tentando garantir que nossas estações de rádio vão tocar as músicas que as pessoas querem ouvir” declara o diretor de conteúdo da MediaWorks Leon Wratt em entrevista à Magic, um dos veículos incluídos no banimento do cantor.

O mero fato de empresas donas de rádios optarem por retirar as canções de Jackson de sua programação antes mesmo da exibição do filme de Reed já sugere o grau de tensão em que os administradores do legado do cantor se encontram com o documentário. A briga entre o filme e os representantes do legado do artista acontece desde a premiere de “Leaving Neverland” no último Festival de Sundance, quando a organização responsável pelo espólio não só emitiu declarações à imprensa condenando o projeto como entrou com um processo contra a HBO, afirmando que a emissora quebrou um contrato firmado em 1992 na época do lançamento do disco “Dangerous” e que a impedia de fazer qualquer comentário danoso ao cantor.

O desespero dos representantes do legado de Jackson com o documentário é tão grande que no final de semana de estreia de “Leaving Neverland” a entidade resolveu disponibilizar de graça os célebres shows de MJ em Wembley e Bucareste no YouTube, mas apenas durante o tempo de exibição das duas partes do filme na TV. O objetivo, claro, seria o de tirar o foco do público da exibição do longa, uma estratégia que pelo visto não deu muito certo.

A briga deve seguir acontecendo conforme o projeto for estreando em outros territórios. No Brasil, a HBO promete o lançamento de “Leaving Neverland” para daqui pouco mais de uma semana, nas noites dos dias 16 e 17 de março.

Compartilhe: