Com 101 milhões de reais acumulados, “Vingadores: Ultimato” se torna a maior bilheteria de estreia do Brasil

Filme despertou polêmica ao ocupar mais de 80% das salas do país, mas levou mais de 50 milhões de pessoas a assistir o desfecho da saga do Infinito

por Pedro Strazza

A passagem de “Vingadores: Ultimato” nos cinemas neste fim de semana foi explosiva em todo o globo. Maior bilheteria de estreia da História, filme a chegar mais rápido ao clube do bilhão, ampliação do valor limite da bilheteria total nos Estados Unidos… é difícil achar agora um recorde de estreia que não seja do quarto capítulo da franquia dos maiores heróis do Marvel Studios.

No Brasil, essa situação não foi muito diferente. Nos quatro dias iniciais de sua trajetória pelos cinemas brasileiros, o longa dirigido pelos irmãos Russo acumulou 101,3 milhões de reais e com tranquilidade se tornou o filme com a maior estreia da história do circuito nacional, destronando com tranquilidade o antecessor “Vingadores: Guerra Infinita” que havia acumulado 65 milhões no ano passado. O top 3 de maiores arrecadações na semana de lançamento no país, aliás, é todo composto de longas do Marvel Studios – “Capitã Marvel” completa o pódio com 51,5 milhões.

Em termos de público, isso logicamente se converteu em números agressivos. Nestes quatro dias, “Vingadores” arrebanhou para suas salas cerca de 5,4 milhões de espectadores.

Por mais que a notícia seja positiva para a Disney, para o mercado a notícia do recorde vem acompanhada de uma discussão nem tão feliz, dado que “Ultimato” obteve uma marca tão acima da concorrência ao ocupar 92,3% das salas de cinema do país. Esta “ocupação”, auxiliada em parte pela suspensão ou má regulação do circuito de cinemas, levantou uma discussão bastante acalorada sobre os tais “lançamentos predatórios”, que praticamente obliteram a concorrência ao dominar os espaços de exibição: além de “Vingadores” ter dizimado a quantidade de salas total de diversas produções que vinham tendo bastante sucesso – incluindo aí os nacionais “De Pernas Pro Ar 3”, que vinham liderando as bilheterias e perdeu 300 salas na virada de quarta para quinta, e “Cine Holliúdy 2”, grande sucesso nos estados do Nordeste e que teve sua presença nestes territórios reduzida de forma drástica.

Para se ter uma ideia do estrago, a arrecadação de “Ultimato” nestes últimos 4 dias no Brasil foi 46 vezes maior que a do segundo colocado, o próprio “De Pernas Pro Ar 3” que conseguiu míseros 2,2 milhões. Comparando números, essa proporção consegue ser maior até mesmo que a dos Estados Unidos, onde o longa fez 42 vezes mais que o segundo colocado (que curiosamente foi “Capitã Marvel”, com 8,2 milhões de dólares segundo o Rotten Tomatoes).

Dado todo este cenário, a grande pergunta é: “Ultimato” teria ajudado a expandir a arrecadação do circuito ou limitado tal impulsionamento? Que tipo de estratégia o filme estaria sugerindo para o mercado nos próximos meses? A resposta será escrita nos próximos meses do calendário de estreias nacional.

Compartilhe: