Cannes Lions 2019: criatividade como vantagem competitiva, a aposta do Burger King

Os mandamentos de Fernando Machado e Marcelo Pascoa para sobreviver ao Adpocalypse

por Juliana Vilhena Nascimento

O teatro Lumière estava absolutamente lotado. A fila pra entrar era provavelmente uma das mais longas desta edição do Cannes Lions. E o Burger King, mais uma vez, mostrou a que veio.

Depois do sucesso da palestra do ano passado, com o tema Hackvertising, este ano o BK veio com um tema divertido novamente: como sobreviver ao “Adpocalipse”, trocadilho relacionado ao suposto fim dos dias da publicidade.

Fernando Machado e Marcelo Pascoa subiram ao palco pra falar de uma crença fundamental pra eles: a de que criatividade é uma grande fonte de vantagem competitiva a marca.

Para eles, definitivamente, não há limites pra criatividade: eles a exploram de várias formas – e aqui, a mostraram aplicada em design, em tecnologia e no produto.

Eles mostraram como estão utilizando design nas lojas, nas embalagens e nas grelhas pra construir uma experiência melhor nos restaurantes – e pra utilizar melhor as propriedades deles como meio de comunicação, algo fundamental pra uma marca desafiante na categoria.

Depois, usaram dois cases mais conhecidos deles – o Whopper Detour dos EUA e o Burn that Ad do Brasil – pra ilustrar como estão usando criatividade somada a tecnologia pra se apropriar de serviços que são commodities na categoria – como comprar pelo app e usar cupons de desconto.

Mas eles não pararam por aí: o BK lançou, no México, um serviço de delivery em engarrafamentos. Imagina que incrível poder pedir um whopper enquanto você está parado e um motoqueiro vir te entregar. Segundo eles, o serviço é um sucesso e será expandido pra outras cidades, como LA e São Paulo.

Por fim, falaram sobre como usam criatividade pra melhorar e “limpar” os produtos de corantes, conservantes e outros aditivos artificiais. E mostraram o case do Impossible Whopper – um hambúrguer de origem 100% vegetal que fãs da marca não conseguem distinguir do original de carne.

Eles terminaram com uma rápida lista de mandamentos pra sobreviver ao Adpocalypse, que repito a seguir: 

Design your way out: use design pra criar experiências superiores e comunicar sem investimento em mídia.

Doing is better than saying: experiências são mais fortes que discurso.

New monsters, new weapons – abrace a tecnologia e a faça proprietária.

Love your product – se você não o ama, mude-o.

Get out – invista energia nas idéias e corra riscos.

Tá aí um bom conjunto de exemplos que confirma meu ponto de vista de ontem: criatividade não tem limites. E ainda faz, e sempre fará, diferença num ambiente de negócios como o que vivemos atualmente.

Compartilhe: