Facebook defende sua criptomoeda no Congresso dos Estados Unidos

David Marcus, chefe da Calibra, está no Congresso norte-americano tentando convencer o governo de que a Libra não tem a intenção de tomar o lugar do Dólar

por Soraia Alves

O Facebook está novamente se explicando no Congresso dos Estados Unidos. David Marcus, chefe da Calibra, entidade que administrará a criptomoeda do Facebook, está no Congresso norte-americano esclarecendo todas as dúvidas do Federal Reserve sobre como a nova moeda digital será regulamentada.

Segundo Marcus, eles já esperavam que a Libra não fosse extremamente bem-recebida por parte das instituições financeiras, e por isso mesmo o lançamento oficial da criptomoeda acontece só em 2020: “O tempo entre agora e o lançamento foi projetado para ser um processo aberto e sujeito a supervisão e revisão regulatória. Na verdade, espero que esta seja a supervisão de pré-lançamento mais ampla, abrangente e cuidadosa dos reguladores e bancos centrais da história da FinTech”, comentou.

Desde que a Libra foi anunciada, o Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos, assim como outras grandes instituições mundiais incluindo o Banco Central Europeu, tem mostrado uma grande preocupação com os impactos que a nova moeda digital pode causar na economia global.

Diversos “contras” foram levantados por Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, incluindo até os recentes problemas enfrentados pelo Faceboom em relação à privacidade e a segurança de dados.

O chefe da Calibra, porém, rebateu todas as acusações: “A Libra é desenvolvida de uma maneira segura e de baixo custo. para que as pessoas movimentem o dinheiro de forma eficiente em todo o mundo. O Facebook não oferecerá a moeda digital Libra até que tenhamos resolvido completamente as preocupações regulatórias e recebido as aprovações apropriadas”.

Marcus fez o seu melhor no primeiro dia de sabatina, e insistiu que empresas como o Facebook deveriam liderar o mercado de criptomoedas: “Acredito que se os Estados Unidos não liderarem a inovação na área de moeda e pagamentos digitais, outros o farão”.

A Libra será totalmente controlada pela Associação Libra, organização sediada na Suíça e que, além do Facebook, conta com mais 27 empresas como Lyft e eBay.

O chefe da Calibra continua suas explicações no Congresso dos Estados Unidos nesta quarta-feira, 17/07, em mais um etapa de convencimento dos políticos de que a Libra não tem a intenção de tomar o lugar do Dólar.

Compartilhe: