YouTube investe em transmissão ao vivo, de novo

Grande motivador do novo investimento do YouTube é criar uma base de espectadores para o Stadia, plataforma de jogos por streaming do Google

por Soraia Alves

O YouTube já investiu no modelo de transmissão ao vivo, mas nunca teve muito sucesso. Em 2015, a plataforma lançou o YouTube Gaming, depois que o Google não conseguiu comprar o Twitch. Mas o projeto nunca vingou e foi oficialmente encerrado em maio deste ano.

A plataforma, porém, parece não ter desistido da ideia de crescer também como canal live streaming, o que faz sentido já que o YouTube é a maior rede de distribuição de vídeo da Internet.

No mês passado, o YouTube fez acordos com Jack “CouRage” Dunlop e Lachlan Power, streamers famosos e que, juntos, somam cerca de 3 milhões de seguidores no Twitch, embora ainda não se saiba exatamente o que o acordo abrange.

Recentemente, a semifinal do Campeonato Mundial de League of Legends ganhou transmissão ao vivo pelo Youtube, atingindo um pico de 4 milhões de espectadores simultâneos, número que fez desse o evento de e-Sports mais assistido de todos os tempos.

Os números explicam a nova tentativa do YouTube em investir nas transmissões ao vivo. De acordo com Ruan Wyatt, chefe de jogos do YouTube, em email para o The Verge, parte do motivo pelo qual o YouTube está novamente apostando na transmissão de games é para garantir que o live streaming ganhe força com todo o público da plataforma.

Outro ponto importante é que muitos youtubers vão para o Twitch na hora de fazerem transmissões ao vivo, e é óbvio que o YouTube quer acabar com isso.

Por fim, o grande motivador do novo investimento do YouTube é criar uma base de espectadores para o Stadia, plataforma de jogos por streaming do Google que está prestes a ser liberada para os usuários. A integração é uma maneira de incentivar os streamers a usar ambas plataformas e, claro, dispensar a concorrência.

Compartilhe: