https___hypebeast.com_image_2019_12_coca-cola-insiders-club-subscription-service-info-1

Agora é a vez da Coca-Cola entrar pra onda dos clubes de assinatura

Por enquanto exclusivo dos EUA, Insiders Club vai oferecer em primeira mão unidades dos mais de 20 produtos que a Coca-Cola Company planeja introduzir no mercado em 2020

por Pedro Strazza

Nike, Sephora, Oreo… não foram poucas as marcas grandes do mercado que resolveram investir em clubes de assinatura em 2019. E com o ano próximo de fechar os trabalhos, chegou a vez de ninguém menos que a Coca-Cola para integrar este clube.

Intitulado Coca-Cola Insiders Club, o serviço vem para atender o planejamento da companhia para 2020, que entre outras coisas inclui o lançamento de mais de 20 novos tipos de refrigerante nos Estados Unidos – incluindo a água com gás Aha e a Coke Energy. Os interessados poderão integrar o clube pagando dez dólares ao mês ou 50 adiantados pelo semestre, recebendo em troca três garrafas ou latas escolhidas pela marca todo mês.

De acordo com o Ad Age, o programa vem atraindo bastante interesse do público estadunidense, com informes de que a Insiders Club conseguiu mil membros só nas primeiras três horas de existência e outros oito mil interessados em uma lista de espera. Para resolver esse problema, a marca comentou ao Fast Company que a ideia é começar a acomodar a procura em meados de janeiro, quando “novos lugares serão abertos” para alguns dos usuários na lista.

Em uma publicação no blog oficial da companhia, a Coca declara que se viu “inspirada” pela expansão do mercado de e-commerce e assinatura, alegando que o segmento “mais do que dobrou anualmente nos últimos cinco anos baseado na popularidade de kits de alimentos e coleções selecionadas de tudo, desde lâminas de barbear a itens para animais de estimação e maquiagem”.

Embora o Insiders Club seja por enquanto exclusivo dos EUA, a Coca-Cola Company diz que está tratando o clube de assinatura como um programa piloto, alegando que irá “monitorar vendas, feedback e buzz nas redes sociais” para considerar uma implementação para além dos seis meses iniciais previstos.

Compartilhe: