NETFLIX-2018

Netflix deve gastar em 2020 mais de US$ 17 bilhões em conteúdos para o catálogo

Relatório da BMO Capital Markets prevê que gastos com produções originais cheguem a 11,1 bilhões de dólares até o fim do ano

por Pedro Strazza

Os números financeiros da Netflix continuam ficando cada vez mais estratosféricos. Depois de tomar emprestado mais dois bilhões de dólares e registrar uma dívida de mais de US$ 14 bilhões em outubro do ano passado, a Variety agora reporta que o serviço de streaming de Reed Hastings pode investir em torno de US$ 17,3 bilhões em conteúdos ao longo de 2020 – e destes, cerca de US$ 11,1 bilhões serão para produções originais.

O número vem de um relatório do banco de investimento BMO Capital Markets, feito a poucos dias da divulgação dos resultados do trimestre da companhia, no próximo dia 21 de janeiro. Além de ser 2 bilhões de dólares maior que o gasto pela Netflix em 2019, o número também é parte de uma curva ascendente de investimentos em catálogo que, caso se mantenha inalterada, pode alcançar os US$ 26 bilhões até o ano de 2028.

O curioso é que a BMO também afirma que estes gastos cada vez maiores não são reflexo do acirramento do mercado do streaming, mas da popularidade cada vez maior do formato. “Nós continuamos a acreditar que narrativa das ‘guerras do streaming’ é falsa e que haverão múltiplos vencedores no âmbito global” escreve o analista Dan Salmon no relatório, no qual acrescenta que a tendência atual é de que as ações da Netflix, Amazon e Disney só valorizem com estes gastos.

A expectativa agora é saber o desempenho da “gigante vermelha” do streaming neste último trimestre de 2019, com especialistas prevendo que a empresa revele um fim de ano “sólido” graças a um aumento notável em quantidade de conteúdo e produtos que de fato chamaram a atenção do público – com a entrega de 802 novas horas de programação em sua plataforma, o analista da Cowen & Co. John Blackledge diz que este número é 3% maior em relação ao mesmo período em 2018 e ainda inclui produções de destaque como “O Irlandês” e “História de um Casamento”.

Compartilhe: