Epic Games realiza concurso de dança no TikTok para encontrar próximo hit do "Fortnite"

Epic Games realiza concurso de dança no TikTok para encontrar próximo hit do “Fortnite”

Promoção vale até o fim da semana e incluirá dança vencedora entre os emotes disponíveis no jogo

por Pedro Strazza

A Epic Games lançou no último fim de semana um novo desafio no TikTok: um concurso de dança que busca encontrar a próxima “dancinha” de comemoração de “Fortnite”. Com duração até o fim desta semana, a promoção “#EmoteRoyaleContest” inclui todo tipo de recompensa dentro do jogo e quer uma dança original da plataforma para incorporar no sistema de emotes do game – onde os personagens dos jogadores podem celebrar certos feitos com movimentos de provocação ou de dança.

Esta não é a primeira vez que a Epic realiza um concurso do tipo nas redes sociais. Em 2018, a companhia chegou a fazer uma ação parecida em plataformas tradicionais – incluindo o Twitter, o Facebook e o Instagram – mas agora parece buscar surfar a onda de imensa popularidade do aplicativo da ByteDance, que vive mesmo de explosões de memes em torno de danças de tempos em tempos.

Junto do “#EmoteRoyaleContest”, a companhia também anunciou dois novos emotes para o jogo envolvendo creators das redes sociais, inspirados no host do game e ator Jordan Fisher e no streamer do Twitch Pokimane. As duas opções estão à venda na plataforma e segundo o The Verge devem incluir uma porcentagem de arrecadação para os influenciadores.

https://twitter.com/pokimanelol/status/1218624664219447296?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1218624664219447296&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.theverge.com%2F2020%2F1%2F21%2F21075154%2Ffortnite-tiktok-emote-contest-pokimane-dance

Além de ser uma forma inteligente de manter “Fortnite” como assunto das redes sociais, a promoção do TikTok também serve para a Epic aumentar o número de emotes originais da plataforma, que já há tempos sofre com processos de infringimento de direitos autorais de outras companhias e mesmo pessoas como Alfonso Ribeiro, que no fim de 2018 entrou na justiça contra o jogo.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link