Stella Artois | Up There

por Carlos Merigo

Stella Artois

Eu não gosto do tom melancólico desse projeto da Stella Artois, que trata a época da publicidade exterior pintada à mão como algo que faz falta na vida das pessoas, como se fosse uma profissão que desapareceu por causa da tecnologia vil e inescrupulosa.

É claro que tem seu charme, uma arte perdida, mas não passa de nostalgia. É o mesmo discurso dos antigos diretores de arte: “Ah, no meu tempo não tinha esse negócio de computador. Era tudo na mão, paste up”.

No curta-documentário de 13 minutos, a Mother mostra a produção de um mural de uma taça de Stella Artois, e que levou 21 dias para ser feito. Ao mesmo tempo, conta a história dos profissionais aposentados, na tentativa de lhe fazer sentir culpa.

Um trabalho manual impressionante? Sem dúvidas. Mas continua sendo só propaganda.

Compartilhe: