Membro do COI afirma que Olimpíadas de Tóquio serão adiadas devido à pandemia

Nova data será definida no próximo mês, mas Comitê Olímpico Internacional considera realizar evento em 2021

por Pedro Strazza

Depois de duas semanas de indecisão e muito mistério, um membro do Comitê Olímpico Internacional confirmou nesta segunda (23) ao USA Today que os Jogos Olímpicos de Tóquio serão adiados devido à pandemia do coronavírus.

“Com base nas informações que o COI tem, o adiamento foi decidido. Os parâmetros de como proceder a partir de agora ainda não foram definidos, mas os jogos não vão começar no próximo dia 24 de julho, isso eu sei.” afirma Dick Pound, membro veterano canadense que é também um dos mais influentes na organização por trás das Olimpíadas. Na entrevista com o jornal, ele ainda diz que as movimentações serão feitas “em estágios” para garantir que o COI lide “com todas as ramificações desta decisão, que é imensa”.

A declaração acontece um dia após o presidente do comitê olímpico declarar que a organização terá as próximas quatro semanas para definir o que vai acontecer com os Jogos de Tóquio, confirmando pela primeira vez que o adiamento era visto como possibilidade – o cancelamento, por outro lado, é descartado sob qualquer circunstância. Horas depois, os comitês olímpico e paralímpico do Canadá anunciaram a decisão de cancelar a participação do país nos dois eventos, um movimento seguido parcialmente pela Austrália que disse “não ser possível” formar times para os Jogos nas atuais circunstâncias – países como a Alemanha, o Brasil e a Noruega pediram publicamente ao COI para adiar as Olimpíadas, enquanto isso.

Questionado pelo USA Today, um porta-voz da organização diz que é “direito de todo membro da COI de interpretar a decisão do conselho executivo do COI que foi anunciada ontem”, mas não confirmou ou negou a afirmação de Pound.

Caso o adiamento se confirme, esta seria a primeira ocasião na história em que as Olimpíadas seriam sido suspensas. Os Jogos já foram cancelados em outras ocasiões, mas sob circunstâncias de guerra, como a Primeira (a edição de 1916) e a Segunda Guerra Mundial (1940 e os jogos de inverno de 1944). O evento também já sofreu boicotes prejudiciais nos anos de 1976, 1980 e 1984, mas mesmo assim continuou em voga e de acordo com a programação pré-estabelecida.

Vale lembrar que os Jogos Olímpicos de Tóquio já foram bastante afetados pela pandemia do coronavírus. Além do governo japonês e o COI estarem desde o início de março em discussões sobre adiar ou não o evento, já se havia definido que a cerimônia da tocha olímpica não seria aberta ao público por medo de aumentar a disseminação da doença entre os países previstos no percurso.

Compartilhe: