Tóquio considera adiar Jogos Olímpicos por conta do coronavírus, mas COI é contra ideia

Plano é mover realização dos Jogos Olímpicos para o fim do ano para dar tempo da epidemia ser contida

por Matheus Fiore

A crise com o coronavírus está fazendo com que inúmeros eventos internacionais sejam adiados, cancelados ou adaptados para que a segurança e a saúde dos moradores das cidades sede sejam preservadas. Primeiro, o MWC, maior evento de smartphones do mundo, teve sua edição de 2020 cancelada. Depois, o Facebook e Jack Dorsey, CEO do Twitter, cancelaram suas presenças no SXSW, um dos principais eventos culturais dos Estados Unidos.

Agora, os Jogos Olímpicos de Tóquio estão sob ameaça. De acordo com o Deadline, o ministro japonês Seiko Hashimoto afirmou que o evento pode ser adiado de julho para o fim do ano, contando com a probabilidade de, até lá, a crise estar contida e não haver riscos de contágio.

“Nós estamos fazendo tudo que podemos para garantir que os Jogos aconteçam da forma como foram planejados”, afirmou Hashimoto à BBC. Já Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, afirmou na última semana que a organização está totalmente comprometida a manter o evento em sua data original.

O coronavírus tem influenciado em diversos mercados de todo o mundo. A indústria cinematográfica chinesa, por exemplo, está totalmente paralisada, bem como as redes de cinema, o que fez com que o mercado tivesse um prejuízo de US$ 214 milhões, se compararmos os dois primeiros meses de 2020 com os dois primeiros meses de 2019 e 2018.

No Brasil, a OMS até o momento tem confirmado apenas dois casos de infectados com o coronavírus, ambos na cidade de São Paulo. De acordo com médicos e especialistas em saúde, a melhor forma de evitar a doença e suprimir seu contágio é cobrindo a boca e o nariz com o antebraço ao espirrar.

Compartilhe: