Academia vai doar US$ 6 milhões para ajudar profissionais do cinema afetados pela crise do coronavírus

Montante será dividido entre duas organizações que vem prestando serviços de emergência aos trabalhadores do meio, incluindo alojamento e cuidados

por Pedro Strazza

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou na última sexta (3) a doação de seis milhões de dólares para o apoio de trabalhadores da indústria audiovisual que passam por apuros financeiros durante a época de pandemia. O valor será destinado a organizações que vem promovendo auxílio a diversos segmentos do meio na crise.

De acordo com a Variety, o montante será dividido igualmente entre o Fundo de Atores e o Motion Picture & Television Fund, além de um extra de US$ 2 milhões ser repassado ao programa da Academy Foundation para aumentar o escopo das bolsas disponibilizadas pela entidade. Nas palavras da CEO Dawn Hudson, esses fundos vem providenciando uma série de serviços de emergência, incluindo “assistência financeira, alojamento, cuidados familiares e aconselhamento”, e devem servir de redes de segurança duradouras para a crise.

“A Academia tem um longo histórico de apoiar nossos colegas, particularmente durante as circunstâncias mais difíceis. Conforme enfrentamos esta pandemia, é nossa missão ajudar aqueles na comunidade cinematográfica que estão sofrendo” escreve o presidente da entidade David Rubin, que cita o desligamento de produções, negócios e cinemas como um ato de “consequências devastadoras”.

Responsável entre outras coisas pela organização do Oscar, a Academia atualmente conta com certa de 8400 membros e a maioria sem dúvida teve sua vida afetada de forma grave pelo paralisamento da indústria perante a pandemia. A entidade não é a única preocupada: no fim de março, a Netflix chegou a criar um fundo de 100 milhões de dólares para providenciar sustento a milhares de profissionais em situação financeira de risco com o coronavírus.

E com a indústria prevendo que só em setembro as engrenagens voltem a funcionar normalmente nos Estados Unidos, este auxílio é mais do que bem vindo.

Compartilhe: