NASA confirma: Tom Cruise vai protagonizar primeiro longa-metragem filmado no espaço

Organização confirmou envolvimento do ator no projeto, que deve ser realizado na Estação Espacial Internacional

por Pedro Strazza

As redes sociais foram atingidas de surpresa na manhã desta terça-feira (5) com a notícia de que Tom Cruise estaria trabalhando com Elon Musk e a SpaceX para realizar um filme no espaço sideral. Junto do filho recém-nascido do empresário, talvez fosse mesmo muita coisa a se processar no momento, mas segundo o Deadline a informação procedia e envolvia a NASA, com o projeto ainda em estágios muito iniciais de desenvolvimento.

Apenas algumas horas se passaram desde esta primeira explosão, mas a história já ganhou um novo capítulo – que na verdade é uma confirmação de existência. Em sua conta no Twitter, o atual administrador da NASA Jim Bridenstine confirmou que o projeto de fato está acontecendo e tem previsto como cenário a Estação Espacial Internacional, atualmente o principal laboratório espacial em órbita no globo terrestre.

“Nós precisamos de mídias populares para inspirar uma nova geração de engenheiros e cientistas que tornem em realidade os planos ambiciosos da NASA” escreve o oficial na publicação. Apesar de marcar o perfil de Cruise e da Estação Espacial Internacional, o tweet curiosamente não cita Musk ou a SpaceX.

Ainda faltam muitos detalhes sobre a produção – em especial a premissa que justificaria uma empreitada deste tamanho, quem estaria disposto a investir tanto dinheiro nela e, principalmente, qual seria a premissa do filme – mas o fato é que as três partes envolvidas até aqui tem disposição ou motivo para estarem atreladas. Enquanto a NASA está a bordo em teoria sob as justificativas citadas por Bridenstine, o The Verge lembra que a SpaceX em fevereiro revelou planos de levar de forma privada quatro cidadãos à órbita da Terra entre o fim de 2021 e o começo de 2022 – o que sugere que um filme hollywoodiano seria a publicidade ideal a uma empreitada destas.

Já Cruise não precisa de tantas explicações se considerar toda a imagem que vem construindo nos últimos anos de dublê de atos impossíveis. Isso inclui a disposição para viajar do lado de fora de um avião Airbus A400 em “Missão: Impossível – Nação Secreta” em 2015, aprender a pilotar helicópteros em questão de semanas para realizar manobras arriscadas em “Missão: Impossível – Efeito Fallout” em 2018 e o que quer que ele esteja fazendo para realizar as manobras de jato no vindouro “Top Gun: Maverick”.

O filme espacial ainda não tem nome, time criativo ou sequer data de início de filmagens revelado.

Compartilhe: