Usuários processam Google em US$ 5 bilhões por rastreá-los no modo anônimo do Chrome

Usuários processam Google em US$ 5 bilhões por rastreá-los no modo anônimo do Chrome

Empresa coletou dados por meio do Analytics e de outros aplicativos

por Matheus Fiore

O Google está sendo processado por um grupo de usuários do Chrome, que juntos pedem cinco bilhões de dólares por serem rastreados pela empresa, mesmo quando navegam em modo anônimo. Segundo a Reuters, o processo foi iniciado em San José, na Califórnia, e acusa a gigante tecnológica de coletar informações sobre o que as pessoas faziam durante sua navegação anônima.

A acusação alega que o Google coletou os dados por meio do Google Analytics, do Google Ad Manager e de vários outros aplicativos da empresa para dispositivos móveis, que ajudam o Google a rastrear e identificar usuários, hobbies, hábitos e até mesmo informações íntimas e potencialmente embaraçosas sobre suas pesquisas online.

Procurado pela Reuters, o Google se manifestou por meio de Jose Castaneda, porta-voz da empresa: “Como afirmamos claramente sempre que um usuário abre uma guia anônima, os sites podem coletar informações sobre sua atividade de navegação”, afirmou Castaneda. De fato, ao abrir uma guia anônima, todo usuário do Chrome é alertado de que sua atividade ainda estará visível para todos os sites que visitar, o provedor de acesso à internet, seu empregador ou escola onde está utilizando o navegador.

Os problemas do Google com privacidade não são exatamente uma novidade. Em janeiro de 2019, por exemplo, a empresa foi multada em 57 milhões de euros por violação de privacidade. Apesar disso, em 2020, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, o CEO do Google, Sundar Pichai, afirmou que privacidade está no centro de todo o trabalho de sua empresa.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link