Apple volta a fechar parte das lojas nos EUA após novo aumento de casos de coronavírus

11 lojas em quatro estados serão temporariamente fechadas por conta da pandemia, um mês depois da empresa reabrir mais de 50 lojas no país

por Pedro Strazza

Como grande parte do comércio, a Apple atualmente vive uma situação de puxa e repuxa quando o tema é suas lojas físicas. Há exatamente um mês, a companhia revelou planos de reabertura gradual dos estabelecimentos nos EUA, chegando a 50 e com todas as precauções depois de um início tímido. Nesta última sexta (19), porém, a situação deu um passo para trás, conforma a empresa confirmou ao Bloomberg o fechamento temporário de 11 lojas no país.

A decisão no caso afeta estabelecimentos da Apple nos estados da Flórida, do Arizona, da Carolina do Norte e do Sul, que de acordo com um porta-voz são comunidades que passaram por novos aumentos no número de casos da doença. “Nós tomamos este passo com uma abundância de cuidado, conforme monitoramos a situação e esperamos ver nossos times e consumidores de volta assim que possível” chegou a declarar a companhia no comentário à agência de notícias.

Vale adicionar que estes não são os únicos estados do país que viram os dados piorarem com a reabertura. Oklahoma, Califórnia e Texas também detectaram explosões de contaminação em seus arredores.

Além de confirmar a paralisação das atividades nestes locais e garantir pagamento aos funcionários durante o período, a Apple também anunciou que os clientes nas regiões afetadas pela decisão e que tinham pedidos e reparos ordenados nos estabelecimentos vão poder completar estes serviços neste fim de semana. A companhia não forneceu uma nova previsão de reabertura, porém.

Compartilhe: