Nos passos de Amazon, Google e Microsoft, Apple apresenta plano de sustentabilidade

Empresa entre outras metas busca zerar suas emissões de carbono até 2030

por Matheus Fiore

A Apple apresentou seus planos para combater as mudanças climáticas pelos próximos dez anos. Seguindo a tendência do mercado, já abraçada no último ano por outras gigantes como Amazon, Google e Microsoft, a empresa revisou seus objetivos e apresentou novas metas.

“Estamos muito orgulhosos do que fizemos até aqui mas ao mesmo tempo, no momento em que estamos, somos convocados para enfrentar esse desafio geracional das mudanças climáticas e acelerar as mudanças em todo o setor, para descobrir e mostrar o que é possível de se fazer” afirmou Lisa Jackson, vice-presidente de iniciativas ambientais, políticas e sociais da empresa.

Um dos principais projetos da Apple é ser 100% neutra na emissão de carbono de suas fornecedoras e fabricação de produtos até 2030. A empresa pretende reduzir 75% de sua emissão de gás carbônico nos próximos dez anos, ao passado que deve também apresentar soluções para a remoção dos 25% restantes que continuarão sendo emitidos.

Para tocar o projeto, a Apple apresentou o Acelerador de Impacto, projeto que consiste no investimento em empresas pertencentes a minorias e que geram resultados positivos na cadeia de suprimentos e em comunidades que são desproporcionalmente afetadas por riscos ambientais. O projeto faz parte da iniciativa de Equidade e Justiça Racial, ideia com investimento de 100 milhões de dólares anunciada pela Apple e focada em progressos na educação, na igualdade econômica e na reforma da justiça criminal.

A Apple também postou em seu canal no YouTube um vídeo no qual um pai promete para seu filho que cuidará do planeta para que a criança tenha um futuro. “Uma promessa entre eu, você e o planeta. “Nós prometemos que tudo que fizermos será neutro na emissão de gás carbônico até seu décimo aniversário”, diz o homem ao bebê recém-nascido.

Com a promessa de tornar seus iPhones, iPads e Macbooks menos poluentes, a Apple entra de cabeça em uma pauta importante, e que acaba perdendo um pouco dos holofotes por causa da pandemia da COVID-19, que tem redirecionado os esforços mundiais para conter o contágio e encontrar uma vacina.

Compartilhe: