cover-snapchat1

Com apenas 4% de funcionários negros, Snapchat define inclusão como objetivo da década

Empresa estabelece como meta dobrar mulheres em setores tecnológicos até 2023 e pessoas de minorias raciais e étnicas até 2025

por Matheus Fiore

Um relatório divulgado pela Snap Inc, a empresa responsável pelo Snapchat, divulgou seu primeiro relatório de diversidade, e ele aponta que apenas 4% do quadro de funcionários da empresa é negro e apenas 7% é composto por latinos ou hispânicos. Em relação a posições de liderança, minorias como negros e latinos ocupam apenas 3,2% dos cargos. Os negros representam também 2,3% das funções relacionadas a tecnologias e os latinos, 3,4% no mesmo setor.

Indo para os gêneros, as mulheres são 32,9% da força de trabalho da Snap Inc, e apenas 16% delas estão em cargos técnicos. Juntamente ao relatório, a Snap também anunciou que está estabelecendo novos objetivos para suas equipes, incluindo dobrar o número de mulheres nos setores de tecnologia até 2023, além de dobrar o número de minorias raciais e étnicas subrepresentadas até 2025.

“Na Snap, nós contribuímos para o progresso humano, empoderando pessoas para que elas se expressem, vivam seus momentos, aprendam sobre o mundo e se divirtam juntas”, diz um trecho que abre o relatório. “Ajudamos a cumprir nossa missão sendo uma força que trabalha para o bem através de nossos produtos, nosso trabalho de fortalecimento de comunidades, nossos esforços para causar um impacto positivo no planeta e tendo um ambiente de trabalho inclusivo”, completa.

A empresa reconhece que não está dentro dos parâmetros ideais de inclusão, e por isso estabeleceu suas novas metas para a primeira metade da atual década. Relatórios do tipo têm se tornado comuns em grandes empresas. A Uber, por exemplo, também divulgou, recentemente, seu relatório de diversidade, além de, assim como a Snap, apresentar um plano para diversificação de sua força de trabalho nos próximos anos.

Compartilhe: