5L73BYSMYJI6PBW2P5VTTOUIXM

New York Times e outros jornais se juntam à Epic Games contra comissões da Apple na App Store

Grupo Digital Content Next questiona companhia de Tim Cook por não contar com um "desconto" similar ao da Amazon na taxa cobrada dentro da App Store

por Pedro Strazza

Já faz uma semana que Apple e Epic Games estão em pé de guerra sobre as comissões cobradas pela App Store e a tentativa de “Fortnite” de driblar este sistema. A tensão entre as partes só ficou maior, conforme não apenas o processo movido pela Epic está em movimento na justiça estadunidense como a Apple declarou nos últimos dias considerar suspender a licença geral da companhia em sua loja.

A sorte da dona do “Fortnite”, porém, é que muita gente importante começou a se unir à empresa em seu esforço para derrubar os 30% cobrados na App Store. No fim desta quinta-feira (20), um grupo de veículos de notícia liderados pelo New York Times, o Washington Post e o Wall Street Journal declararam se unir à causa da Epic, na busca também de reduzir a taxa que atualmente é cobrada na íntegra pela Apple no primeiro ano de assinaturas dos jornais.

Na carta oficial endereçada ao CEO Tim Cook, o CEO do grupo intitulado Digital Content Next Jason Klint escreve que “Os termos do mercado único da Apple impactam de maneira forte a habilidade de continuar a investir em notícias e entretenimento de alta qualidade e confiáveis, particularmente em competição com outras grandes empresas”. O ponto de pressão é de novo o acordo que a App Store tem com a Amazon, que atualmente permite à companhia de Jeff Bezos que toque seus aplicativos na loja com uma comissão de apenas 15%, e Klint escreve que o coletivo quer saber “as condições que nossos membros […] precisam atender para se qualificar ao acordo que a Amazon possui”.

Os jornais do Digital Content Next se juntam agora não apenas à Epic Games, mas também ao Spotify – que já está em conflito direto com a Apple desde o ano passado – e um grupo de desenvolvedores de games, streamings e outros aplicativos que se mostram insatisfeitos com a forma como a companhia de Cook administra o ecossistema da loja virtual (com grandes retornos, vale acrescentar). Até mesmo a Microsoft recentemente fez críticas ao modelo de comissão da companhia, questionando também o porquê de seus serviços na plataforma não se beneficiarem de uma redução de taxa para apps como o xCloud e o Stadia.

A parte mais curiosa dessa declaração de guerra, porém, é que entre os veículos envolvidos na carta enviada à Cook há o Washington Post, um jornal cujo dono é ninguém mais que o próprio Jeff Bezos que já está sendo beneficiado por acordos fora da regulamentação da App Store.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link